ADI lembra defensor intransigente do Estado de Direito Democrático

por Lusa

A Ação Democrática Independente (ADI, oposição) saudou hoje a memória do ex-Presidente são-tomense Evaristo Carvalho, que morreu no sábado em Lisboa, como dirigente ponderado e dialogante e defensor intransigente do Estado Direito Democrático.

"Manifestamos todo o nosso reconhecimento àquele que foi um dos mais altos dirigentes do nosso partido o ADI, saudamos a memória de um Presidente da República defensor intransigente do Estado de Direito Democrático, ponderado e dialogante, que soube tudo fazer para preservar a estabilidade política e contribuir assim para o desenvolvimento harmonioso da nossa nação", lê-se numa nota da ADI enviada à Lusa.

No documento assinado pelo presidente da ADI, Patrice Trovoada, refere-se que "São Tomé e Príncipe acaba assim de perder um dos seus mais dignos filhos, nacionalista da primeira hora, democrata convicto e servidor incansável do Estado, sem, contudo, conseguir satisfazer o seu último desejo, o de poder ver uma última vez a sua terra natal".

"Neste momento excecional de luto para todos os são-tomenses, os democratas, todos aqueles que tiveram o privilégio de conhecer Evaristo Carvalho e particularmente os militantes do ADI, apresentamos à família enlutada, em nome do partido, as nossas mais profundas e sinceras condolências e prestamos aqui e agora todo o reconhecimento e a devida homenagem do partido ao nosso inesquecível companheiro", lê-se na nota.

O ex-Presidente de São Tomé e Príncipe Evaristo Carvalho morreu no sábado, aos 80 anos, em Lisboa, vítima de doença prolongada, disse à Lusa fonte familiar.

O antigo chefe de Estado são-tomense (2016-2021) estava internado num hospital em Lisboa e faleceu cerca das 22:00.

Eleito Presidente de São Tomé e Príncipe em 18 de julho de 2016, Evaristo Carvalho exerceu o mandato até 02 de outubro de 2021, quando foi sucedido por Carlos Vila Nova.

Pai de 25 filhos, Evaristo Carvalho era um histórico da política são-tomense, tendo sido, por duas ocasiões, primeiro-ministro em governos de iniciativa presidencial. Foi também presidente da Assembleia Nacional, ministro e deputado.

Técnico de agricultura, Evaristo Carvalho começou por ser um quadro do partido único - Movimento para a Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social Democrata (MLSTP-PSD) - após a independência e até ao início do multipartidarismo, na década de 1990.

Foi chefe de gabinete de Miguel Trovoada quando este foi Presidente da República e aderiu ao Ação Democrática Independente (ADI), partido hoje liderado pelo filho daquele e antigo primeiro-ministro, Patrice Trovoada.

 

pub