Administração Biden revê casos de milhares de crianças possivelmente separadas dos pais na era Trump

por RTP
No início deste mês foi anunciado um novo recorde na entrada de migrantes nos Estados Unidos. Go Nakamura - Reuters

A Administração Biden está a rever 5600 casos de crianças migrantes para perceber se estas foram separadas dos pais na fronteira dos Estados Unidos com o México durante a presidência de Donald Trump. A informação foi avançada esta quarta-feira por um responsável do Departamento norte-americano de Segurança Interna.

A avaliação destes mais de cinco mil casos deverá, segundo a fonte ouvida pela Reuters, encontrar um pequeno número de separações de crianças dos seus pais, que irão juntar-se às milhares já identificadas durante uma investigação que continua a decorrer nos Estados Unidos.

O presidente Joe Biden lançou, em fevereiro, uma ordem executiva para a criação de uma task force responsável por unir crianças e pais separados sob a política de "tolerância zero" na imigração, que Donald Trump se esforçou por fazer cumprir ao longo dos quatro anos da sua liderança.

Nesse período, milhares de menores foram afastados dos seus pais, com quem atravessavam a fronteira com o México em busca de melhores condições. A política imposta pelo ex-presidente fez acumular as acusações por imigração ilegal aos progenitores, sendo que estes acabavam detidos e as crianças eram colocadas em abrigos temporários.

Até ao momento, a task force criada pela Administração Biden ainda não conseguiu reunir nenhuma das famílias separadas, de acordo com a fonte do Departamento de Segurança Interna.

A ação judicial em curso nos EUA sobre estas separações não terá ainda conseguido encontrar os pais de mais de 500 menores.

No início deste mês foi anunciado um novo recorde na entrada de migrantes nos Estados Unidos, levando a Casa Branca a anunciar a criação urgente de novos locais de acolhimento com mais de 16 mil camas para dar resposta à crise.

Nesta altura estão retidas em centros de abrigo mais de quatro mil crianças e as próprias autoridades já revelaram preocupação com este cenário.
Tópicos
pub