Amnistia diz que violência armada nos EUA fomentou uma crise de direitos humanos

| Mundo
Amnistia diz que violência armada nos EUA fomentou uma crise de direitos humanos

Foto: Reuters

A Amnistia Internacional acusa o governo dos Estados Unidos da América de permitir que a violência armada se tornasse uma crise de direitos humanos.


Num relatório publicado esta tarde a Amnistia entende que faltam aos EUA medidas de licenciamento e regulamentação para uso e porte de armas, como explica o porta-voz da Amnistia em Portugal, Pedro Neto.

Em 30 Estados é possível ter armas sem licença ou outro tipo de autorização.

Em 2016, mais de 38 mil pessoas foram mortas e 116 mil ficaram feridas na sequência de incidentes com armas de fogo nos EUA.

A informação mais vista

+ Em Foco

A destruição causada pelas chamas no Estado norte-americano da Califórnia retratada numa galeria de fotografias.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      O ex-ministro da Defesa israelita Avigdor Lieberman acumulou diatribes ao longo da carreira política.

        Fotografias publicadas em livro da autoria do artista berlinense Martin Dammann lançam uma nova luz sobre o lado mais obscuro da Wehrmacht.