Amnistia diz que violência armada nos EUA fomentou uma crise de direitos humanos

| Mundo
Amnistia diz que violência armada nos EUA fomentou uma crise de direitos humanos

Foto: Reuters

A Amnistia Internacional acusa o governo dos Estados Unidos da América de permitir que a violência armada se tornasse uma crise de direitos humanos.


Num relatório publicado esta tarde a Amnistia entende que faltam aos EUA medidas de licenciamento e regulamentação para uso e porte de armas, como explica o porta-voz da Amnistia em Portugal, Pedro Neto.

Em 30 Estados é possível ter armas sem licença ou outro tipo de autorização.

Em 2016, mais de 38 mil pessoas foram mortas e 116 mil ficaram feridas na sequência de incidentes com armas de fogo nos EUA.

A informação mais vista

+ Em Foco

Francisco Veloso, reitor da Imperial College Business School, traça os cenários possíveis após a rejeição do acordo.

O presidente da Câmara dos Comuns é, digamos assim, o equivalente ao presidente da Assembleia da República em Portugal.

Neste Manual do Brexit, explicamos em 12 pontos o que está em causa e os cenários que se colocam.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.