Assassínio de político alemão. Polícia detém dois cúmplices do suspeito neonazi

| Mundo

Às primeiras horas de hoje foi conhecida a detenção de mais duas pessoas
|

A polícia alemã deteve dois cúmplices do suspeito neonazis no caso do assassínio do chefe do Governo regional de Kassel, Walter Lübcke.

O político democrata-cristão fora abatido a tiro em 2 de junho passado, quando fumava um cigarro no jardim de sua casa, sentado numa cadeira. Dias depois fora detido o neonazi Stephan Ernst, cujo ADN se encontrava no local do crime.

Ernst começara por negar a autoria do disparo fatal, mas os indícios acumulavam-se rapidamente contra ele: comentários online apelando à violência, telemóvel desligado durante várias horas no momento do crime, pedido a colegas de trabalho para que prestassem falsas declarações à polícia sobre terem-no visto nesse momento e noutro lugar e depoimento de uma testemunha, que vira um carro idêntico ao de Ernst perto do local do crime.

A tudo isto, juntaram-se, enfim, as declarações de sua mulher: o suspeito, de 45 anos, pai de dois filhos, voltara tarde para casa na noite do crime, segundo declarou a cônjuge. E a isto acrescentou que não sabia onde o marido estivera até à hora do regresso.

Ontem, Ernst acabou por confessar. Continuava, no entanto, a negar que mais alguém tivesse tido participação no atentado. O teor da sua confissão era, nesse ponto, objecto de sérias dúvidas por parte da polícia.

Às primeiras horas de hoje foi conhecida a detenção de mais duas pessoas. Segundo informações de Der Spiegel, trata-se de um comerciante de armas da Renânia-Norte Vestefália e de um intermediário no negócio que permitiu a Ernst adquirir a arma do crime. Ambos foram denunciados por Ernst.

Segundo o diário Süddeutsche Zeitung, nas buscas realizadas durante a madrugada de hoje, a polícia encontrou também um depósito de armas num terreno do patrão de Ernst, igualmente denunciado por este. O arsenal guardado nesse depósito incluía cinco armas que Ernst vinha armazenando desde 2014, incluindo uma pistola-metralhadora israelita de tipo Uzi.

A polícia está agora a investigar se alguma ou algumas das armas aí existentes foram utilizadas em crimes anteriores.

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi há 50 anos que o Homem partiu para a Lua. De Cabo Canaveral, nos EUA, seguiram três astronautas para colocar os nomes na história da humanidade.

Ouvido pela RTP, o artista chinês mostra-se convicto de que Hong Kong e Macau não serão, no futuro, controlados pela China.

Começa a legislatura do Parlamento Europeu saído das últimas eleições. Conheça aqui os eurodeputados portugueses e as suas prioridades.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.