Autoridades timorenses esperam 10 chefes de Estado nos 20 anos do referendo da independência

| Mundo

O chefe de Estado maior das Forças de Defesa timorenses disse hoje que as autoridades preveem a participação de dez chefes de Estado nas comemorações dos 20 anos do referendo de independência, a 30 de agosto próximo.

"Nós, na Defesa, sabemos que dez chefes de Estado vão participar. Também fazemos parte da comissão organizadora e sabemos que haverá dez. Além dos chefes de Governo e outras entidades", disse, aos jornalistas, Falur Rate Laek.

Até ao momento, as autoridades timorenses não divulgaram qualquer informação oficial sobre presenças internacionais nas comemorações.

Fontes diplomáticas disseram à Lusa que em cima da mesa estão as visitas do secretário-geral da ONU, António Guterres, do primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, e do presidente da Assembleia da República portuguesa, Ferro Rodrigues, entre outros.

A comissão de organização das comemorações é presidida por Xanana Gusmão. Numa mensagem aos cidadãos timorenses, o responsável lembrou a importância da consulta e pediu aos jovens para se envolverem nas celebrações.

"Este ano é muito especial porque comemoramos os 20 anos de um acontecimento muito importante. Um acontecimento fundamental para conquistarmos a nossa independência, como foi a consulta popular", referiu, na mensagem em vídeo.

O líder histórico timorense afirmou que serão realizadas várias atividades, "especialmente viradas para a participação das novas gerações, para as educar sobre o processo", sublinhando ser importante que os jovens percebam o passado que os trouxe até aqui.

"Por isso, apelo aos jovens para participarem ativamente e com o coração lembrando o sofrimento e as dificuldades do processo que nos trouxe a independência, que nos deu a liberdade, a democracia e a oportunidade de olhar para o futuro", afirmou.

O Governo divulgou já uma primeira versão do calendário de atividades em todo o país, entre 31 de julho e 31 de agosto, com celebrações nos municípios no próximo mês e o arranque das atividades em Díli a 01 de agosto.

Exposições de pintura e fotografia, exibição de documentários, competições culturais, atividades pedagógicas e um ciclo de conferências são alguns dos eventos previstos na capital timorense.

O executivo tem prevista a chegada dos convidados e visitantes entre 25 e 27 de agosto, com os convidados de honra esperados a 28.

As celebrações mais formais arrancam a 29 de agosto, com uma missa de Ação de Graças na catedral de Díli e um jantar de boas-vindas oferecido pelo Presidente timorense, Francisco Guterres Lu-Olo, no Palácio Presidencial.

No dia do 20.º aniversário vai decorrer uma sessão solene no Parlamento Nacional, onde, caso se confirme a visita, deverá realizar-se uma intervenção de António Guterres, antes de um almoço oferecido pelo primeiro-ministro timorense, Taur Matan Ruak, aos convidados, no Ministério das Finanças.

As atenções voltam-se depois para o recinto de Tasi Tolu, na parte ocidental da cidade, para atividades culturais e desportivas.

Francisco Guterres Lu-Olo abre as cerimónias oficiais, durante a qual serão entregues medalhas, ouvidos testemunhos e, depois, lançado um fogo-de-artifício, antes de uma homenagem aos grupos de solidariedade internacional com Timor-Leste e um concerto musical.

 

 

Tópicos:

Ação, Díli, ONU,

A informação mais vista

+ Em Foco

É até hoje a mais icónica das aventuras da exploração espacial. Há 50 anos, o Homem chegava à Lua à boleia da NASA. Percorrermos aqui todos os detalhes da missão, dia a dia.

    O programa Artemis, da NASA, tem como objetivo regressar ao satélite natural da Terra e, simultaneamente, preparar a viagem a Marte.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.