BCE deixa de aceitar títulos da dívida pública grega como garantia

por João Ferreira Pelarigo, RTP
Maria Draghi, Presidente, e Vitor Constancio, Vice-presidente do Banco Central Europeu. Kai Pfaffenbach, Reuters

O Banco Central Europeu aumentou a pressão sobre o Governo grego. O BCE anunciou esta quarta-feira que deixou de aceitar dívida pública grega como garantia de empréstimos aos bancos gregos.

Os bancos gregos já não podem aceder a crédito do BCE usando títulos do Governo ou obrigações garantidas pelo Governo.

O BCE acrescentou que os bancos gregos podem aceder a liquidez através do Banco da Grécia, recorrendo ao programa de liquidez de urgência.

O Banco anunciou ainda, em comunicado citado pela Associated Press, que as perspetivas de um novo acordo são incertas.

De acordo com a agência France Presse, esta decisão tomada pelo conselho de governadores "está conforme as regras do eurosistema", citando um comunicado do BCE.

Isto aconteceu apenas algumas horas depois de o novo ministro grego das Finanças, Yanis Varoufakis, ter referido que o seu encontro com o presidente do banco europeu, Mario Draghi, se tinha saldado por uma "discussão produtiva".

O novo Governo da Grécia rejeitou as condições de austeridade associadas aos empréstimos de resgate, afirmando que os cortes prejudicaram a economia.

A Grécia está agora à procura de um novo acordo para evitar a saída da Zona Euro, refere a Associated Press.
Euro cai face ao dólar

Depois da decisão do Banco Central Europeu face aos títulos da dívida pública grega, o euro caiu em relação ao dólar.

Às 21:30 de Lisboa, a moeda única europeia valia 1,1341 dólares, contra os 1,1479 à mesma hora de terça-feira.

Uma hora antes do anúncio do BCE, o euro valia 1,1423 dólares.

Tópicos