Bolsonaro considera "terrorismo" atos de violência no estado do Ceará

| Mundo

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse hoje que os atos de violência cometidos no Estado do Ceará devem ser qualificados de "terrorismo".

"Ao criminoso não interessa o partido desse ou daquele governador. Hoje ele age no Ceará, amanhã em SP [São Paulo], RS [Rio Grande do Sul] ou GO [Goiás]. Suas ações, como incendiar, explodir, ... bens públicos ou privados, devem ser tipificados como terrorismo", publicou o chefe de Estado de extrema-direita na rede social Twitter.

Desde 02 de janeiro, o estado do Ceará, no nordeste do Brasil, sofre uma grave crise de segurança, provocada por atos de vandalismo, na sua maioria incendiários, contra veículos, edifícios públicos e estabelecimentos comerciais.

As autoridades locais já registaram perto de 200 atos de vandalismo em 43 cidades do Ceará, um Estado pobre no coração do, tendo sido detidas mais de 300 pessoas.

No sábado à noite, um grande poste elétrico foi derrubado em Maracanaú, um subúrbio de Fortaleza, a capital do Ceará, tendo alguns bairros ficado privados de eletricidade por várias horas. Uma concessionária automóvel também foi atacada.

Na sexta-feira, Jair Bolsonaro já tinha vincado a "urgência" de mudar a atual legislação para combater a violência e prometeu "mão dura".

Tópicos:

Sul], Twitter,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à Antena 1, o presidente do PS elogia a chamada "geringonça", mas coloca reservas quanto à hipótese de ter BE e PCP num futuro executivo socialista.

    As famílias já pediram o repatriamento, mas o MNE diz que ainda não tem uma solução.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.