Cabo Delgado. Retrato de população a viver um clima de medo

por Antena 1

Foto: Anna Louise - Unsplash

Os ataques em Cabo Delgado diminuíram, mas o trauma continua a marcar a vida das pessoas que vivem naquela região do norte de Moçambique.

É o alerta feito pela organização Médicos Sem Fronteiras, no dia em que se assinalam cinco anos, desde o início do conflito armado em Cabo Delgado.

Ouvida pela Antena 1, Mariana Abdalla, responsável desta associação humanitária em Moçambique, diz que a população continua a viver num clima de medo e descreve traumas psicológicos que persistem, depois da morte de familiares e amigos.

Em cinco anos, o conflito em Cabo Delgado já provocou um milhão de deslocados. Mariana Abdalla diz que esta realidade tem contribuído para o agravamento de outras doenças, como a malária.

A MSF tem várias clínicas móveis e fixas em várias provincias do Norte de moçambique, de forma a prestar apoio à população de Cabo Delgado.
pub