Casal alemão condenado por vender filho a pedófilos na Internet

| Mundo

O menino estava "à venda" na Darkweb.
|

O casal foi condenado a 12 anos e meio de prisão por abuso sexual, violação, distribuição de pornografia infantil e prostituição forçada do menino de 10 anos.

O menino, cujo nome não foi revelado, tinha nove anos quando o primeiro julgamento começou.

Na primeira sentença descobriu-se que o casal abusava e vendia o menor há dois anos. Os assistentes sociais tiraram o menor aos pais, mas pouco tempo depois um tribunal local mandou a criança para casa.

Segundo a BBC, as autoridades foram bastante criticadas por não terem protegido o menino.

A mãe de 48 anos e o padrasto de 39 foram sentenciados pelo tribunal de Freiburg, na Alemanha, a 12 anos e meio de prisão e ao pagamento de 42.500 euros à criança.

O tribunal determinou ainda que o homem fique impedido de qualquer contacto com a criança, mesmo depois de cumprir a sentença. O padrasto tinha antecedentes criminais por abuso infantil.

O casal vendia o menino na DarkWeb a outros homens.

Na segunda-feira, um espanhol de 33 anos foi condenado a 10 anos deCinco homens também foram condenados por ligação aos abusos.  prisão e multado em 18 mil euros por violar o menor. O homem admitiu ter pago ao casal 10 mil euros para violar a criança várias vezes.

Desde 2016 que o menor está “à venda” na internet. Segundo o jornal espanhol ABC, a polícia só teve conhecimento do caso depois de uma denúncia feita em 2017.

Segundo o The Guardian, o menino vive agora com uma família adotiva.

Tópicos:

Sentença, Violação, Alemanha,

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

    É um desejo antigo do Homem poder tocar as estrelas. Um feito que parece ser agora "quase" alcançável através da missão espacial solar Parker.

      Entre as 21h00 de domingo e as 8h00 de segunda-feira, o mundo viu uma chuva de Perseidas, espetáculo habitual em agosto. Nos locais mais remotos, foi possível admirar melhor o fenómeno.

        Uma semana depois de as chamas deflagrarem em Monchique, a Proteção Civil deu o incêndio como dominado e em fase de resolução. Portugal volta a ser o país com mais área ardida na Europa.