CEDEAO dá até 23 de junho para indigitação de PM e Governo na Guiné-Bissau

por Lusa

A Comunidade Economia dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) deu hoje um prazo até domingo para ser nomeado o primeiro-ministro e o Governo na Guiné-Bissau de acordo com os resultados das legislativas de 10 de março.

"O comité ministerial insiste na nomeação até 23 de junho do novo primeiro-ministro proposto pelo partido maioritário no parlamento e a formação do Governo dentro do mesmo prazo", afirmou aos jornalistas o presidente da comissão da CEDEAO, Jean-Claude Kassi Brou.

Jean-Claude Kassi Brou falava aos jornalistas no aeroporto de Bissau no final de uma missão que a CEDEAO realizou ao país para avaliar a crise política.

O presidente da comissão da CEDEAO pediu também aos partidos políticos para concluírem a eleição da mesa do parlamento conforme o regulamento daquele órgão de soberania.

Jean-Claude Kassi Brou deixou também claro que a missão recomendará a imposição de sanções a todos os que forem responsáveis por criar bloqueios ao processo de normalização do país.

Quase três meses depois das eleições legislativas, em 10 de março, o Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, ainda não indigitou o primeiro-ministro e Governo alegando o impasse para a eleição da mesa do parlamento.

O chefe de Estado ouviu os partidos na sexta-feira e pediu ao Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) para indicar um nome para o cargo de primeiro-ministro.

O PAIGC indicou o nome do presidente do partido, Domingos Simões Pereira, que o Presidente recusou.

O Presidente guineense cumpre cinco anos de mandato em 23 de junho e marcou eleições presidenciais para 24 de novembro.

Tópicos