Chicago. Vídeo mostra polícia a matar a tiro adolescente de 13 anos

por Cristina Sambado - RTP
Imagem do vídeo da polícia

Um adolescente de origem mexicana foi morto a tiro pela polícia, no final do mês de março, em Little Village, um bairro de Chicago. O vídeo captado pela câmara no uniforme do polícia e que foi agora divulgado, revela uma perseguição a pé a Adam Toledo que é depois abatido com um tiro. A presidente da Câmara de Chicago afirma que as imagens são “insuportáveis”. É mais um caso de violência policial nos Estados Unidos e que pode levar a novos protestos.

O vídeo mostra o polícia aos gritos antes de atirar no peito do jovem de 13 anos que estava com as mãos no ar.

Adam Toledo, segundo as imagens, não está armado no momento em que é atingido, apesar do vídeo revelar também os polícias com uma arma encontrada no local do incidente.

A divulgação do vídeo ocorre depois do tiro fatal que matou Duante Wright nos subúrbios de Minneapolis, no passado dia 11 de abril. E numa altura em que se aguarda o resultado do julgamento de Derek Chauvin, o polícia acusado da morte George Floyd em março de 2020. O vídeo começa com o agente policial a sair do carro no bairro de Little Village, onde vivem maioritariamente mexicanos, e a perseguir a pé Adam Toledo num beco, enquanto outro homem desaparece de vista.

O polícia grita: “Polícia! Pare! Pare agora! Mãos! Mãos! Mostre-me as suas mãos!”

O adolescente vira-se e levanta as mãos. O polícia grita: “largue a arma” e dispara – 19 segundos depois de ter saído do carro.

Imagens separadas parecem mostrar Adam Toledo a atirar algo para o chão numa altura em que o polícia o começa a perseguir. O vídeo revela ainda outros policias a iluminar uma arma atrás de uma cerca de madeira após o tiroteio.

Segundo os promotores, o adolescente estava acompanhado por Ruben Roman, um homem de 21 anos, que tinha disparado num carro que passava. Foi esse tiroteio que atraiu as autoridades policiais ao local.

Roman foi presente a tribunal no sábado acusado de uso de arma ilegal.
“Falhámos com Adam”
Pouco depois da divulgação do vídeo, a presidente da câmara de Chicago, Lori Lightfoot, afirmou que as imagens são “insuportáveis”. Acrescentando: “Simplificando, nós falhámos com o Adam”,

“E não podemos falhar com mais um jovem da nossa cidade”, acrescentou.

Lori Lightfoot apelou também à população para manter a calma.
“Apelo a todos os residentes que se preocupam com a cidade que esperem até termos todos os factos. Temos de continuar a enfrentar e não ignorar o facto de que Chicago, tal como muitas outras zonas do país, tem um longo historial de violência, que deixou muitos residentes, principalmente os negros e mestiços num estado permanente de medo e de dor”.

“Vivemos numa cidade traumatizada por uma longa história de violência policial e de má conduta”.
Na noite de quinta-feira, pequenos grupos juntaram-se no centro de Chicago – a terceira maior cidade dos Estados Unidos – num protesto pacífico contra a morte do adolescente.


A família do adolescente também apelou à calma. “Ouvimos relatos de que estavam previstos mais protestos para hoje, oramos para que, pelo bem da nossa cidade, as pessoas permaneçam pacíficas para honrar a memória de Adam “.

Quinta-feira, numa conferência de imprensa, a advogada da família Toledo, Adeena Weiss Ortiz, afirmou que o jovem não estava armado na altura em que foi baleado.

No entanto, acrescentou que não estava “100 por cento” segura de que o adolescente não estivesse armado antes.

“Ele deitou a arma fora. Se ele tinha uma arma atirou-a. O polícia disse ‘mostre-me as suas mãos’. Ele obedeceu e virou-se”
, acrescentou.

O polícia que disparou contra o adolescente não foi oficialmente acusado. No entanto, foi colocado em funções administrativas enquanto aguarda o resultado do inquérito.
Tópicos
pub