Chris Christie recusa ser chefe de gabinete de Donald Trump

| Mundo

O antigo governador republicano do Estado de Nova Jérsia, Chris Christie, excluiu-se hoje da lista de possíveis futuros chefes de gabinete de Donald Trump, um cargo similar ao de primeiro-ministro, depois da saída do general reformado John Kelly.

Em comunicado, Christie declarou que era "uma honra" ter sido considerado para a função, depois de uma reunião com o presidente norte-americano.

Christie revelou que disse a Trump que "este não é o momento indicado para ele ou a sua família assumirem esta importante função", acrescentando que solicitou ao multimilionário que "deixasse de o considerar para este cargo".

O ex-governador de Nova Jérsia era considerado uma das primeiras opções de Trump para o cargo e os dois reuniram-se na quinta-feira para discutir o assunto.

Esta é a segunda recusa para o lugar, depois da feita por Nick Ayers, que é o chefe de gabinete do vice-presidente, Mike Pence.

Depois de ter sido a escolha inicial de Trump, Ayers decidiu à última hora recusar a proposta.

A Casa Branca de Trump tem-se confrontado com uma elevada rotação de pessoal e dificuldades em atrair dirigentes de topo.

Tópicos:

Donald Trump,

A informação mais vista

+ Em Foco

Francisco Veloso, reitor da Imperial College Business School, traça os cenários possíveis após a rejeição do acordo.

O presidente da Câmara dos Comuns é, digamos assim, o equivalente ao presidente da Assembleia da República em Portugal.

Neste Manual do Brexit, explicamos em 12 pontos o que está em causa e os cenários que se colocam.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.