Coreógrafo israelita rejeita intersecção da arte com a política

| Mundo
Coreógrafo israelita rejeita intersecção da arte com a política

A ver: Coreógrafo israelita rejeita intersecção da arte com a política

Jornalista: Paulo Alexandre Amaral Imagem e Edição: Nuno Patrício

Tamir Ginz é um coreógrafo premiado em Israel. Em Bersheeba fundou a Kamea Dance Company, de que é o actual director artístico e coreógrafo. Trouxe "Neverland" ao Festival de Almada, onde tinha à espera um protesto de activistas pró-Palestina. O artista diz nada ter a ver com a política de Israel, mas apresenta-se como um "judeu orgulhoso".

Jornalista: Paulo Alexandre Amaral
Imagem e Edição: Nuno Patrício

A informação mais vista

+ Em Foco

A presidente do CNAPN diz que a chave está nos líderes das mesquitas e pede mais apoio do Alto Comissariado para as Migrações.

    Marco Aurélio de Mello considera que a prisão de Lula da Silva, após condenação em segunda instância, viola a Constituição brasileira.

      Sintra podia ser uma "mini Davos". A sugestão foi feita informalmente por um dos académicos que participou na reunião do BCE concluída em 20 de junho.

        Dados revelados no Digital News Report de 2018 do Reuters Institute.