Coreógrafo israelita rejeita intersecção da arte com a política

| Mundo
Coreógrafo israelita rejeita intersecção da arte com a política

A ver: Coreógrafo israelita rejeita intersecção da arte com a política

Jornalista: Paulo Alexandre Amaral Imagem e Edição: Nuno Patrício

Tamir Ginz é um coreógrafo premiado em Israel. Em Bersheeba fundou a Kamea Dance Company, de que é o actual director artístico e coreógrafo. Trouxe "Neverland" ao Festival de Almada, onde tinha à espera um protesto de activistas pró-Palestina. O artista diz nada ter a ver com a política de Israel, mas apresenta-se como um "judeu orgulhoso".

Jornalista: Paulo Alexandre Amaral
Imagem e Edição: Nuno Patrício

A informação mais vista

+ Em Foco

Um mês depois dos incêndios, ainda há raízes em combustão sob a terra no concelho de Pedrógão Grande. Reunimos aqui um conjunto de vídeos em 360 graus captados no local.

A 17 de junho, Portugal começou a assistir ao mais mortífero incêndio de sempre. A paisagem de Pedrógão Grande mantém-se em tons de sépia. Um cenário captado pelo fotojornalista Pedro A. Pina.

    Nos últimos dois anos a RTP ouviu três vozes com diferentes perspetivas do conflito israelo-palestiniano: Miko Peled, Shahd Whadi e Tamir Ginz.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A caminho das autárquicas a Antena 1 fixa o país em 20 retratos.