Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

Rui Ochoa, Lusa

Acompanhamos aqui todos os desenvolvimentos sobre a propagação do SARS-CoV-2 à escala internacional.

Mais atualizações

18h26 - Itália volta a reduzir número de contágios e números de mortes

Nas últimas 24 horas, a Itália contabilizou sete mortes e 188 novos casos por covid-19, invertendo a tendência de crescimento desses números que se verificar nos dias anteriores.

As sete mortes hoje confirmadas constituem o segundo número mais baixo desde o primeiro dia de março.

17h15 - Médicos de Saúde Pública denunciam: "não se reforçaram as unidades de saúde pública com a capacidade de resposta necessária"

Em declarações citadas pela Lusa, o presidente da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública, Ricardo Mexia, considerou que "não se reforçaram as unidades de saúde pública com a capacidade de resposta necessária para acorrer às situações em tempo útil".

Segundo aquele clínico, o país corre o risco de não conseguir responder a um ressurgimento de casos de covid-19 no inverno: "Já tivemos algum tempo para nos prepararmos depois daquele embate inicial" em que se evitou o crescimento exponencial de casos que se verificou em países como Espanha, mas "do ponto de vista de preparação dos recursos, o que constatamos é que não houve verdadeiramente um planeamento e os problemas que enfrentamos na região de Lisboa e Vale do Tejo estão, por demais, à vista".


17h14 - Médicos e jornalistas detidos no Egipto por revelarem extensão da pandemia

Pelo menos dez médicos e seis jornalistas encontram-se detidos pela ditadura egípcia por terem apontado carências do sistema de saúde no combate à Covid-19, segundo denunciaram organizações de direitos humanos do país. Há também relatos de enfermeiros, que foram avisados pelos superiores hierárquicos para manterem silêncio sobre o que se passa nos hospitais.

O Egipto, com 100 milhões de habitantes, tinha na passada segunda feira 76.253 casos de Covid-19 registados pelo Ministério da Saúde, tendo sofrido a morte de 3.343 pacientes - o número mais alto no mundo árabe.

16h54 - Enfermeiros alertam para promiscuidade entre público e privado nos lares de idosos

A Secção Regional do Sul (SRSul) da Ordem dos Enfermeiros advertiu que muitos lares continuam a funcionar com "recursos abaixo do mínimo exigido" e que isso poderá propiciar a repetição de situações semelhantes à ocorrida em Reguengos de Monsaraz (Évora).

Em comunicado citado pela agência Lusa, a SRSul protesta contra o facto de a maioria dos lares de idosos continuar a "violar a lei no que toca ao número de enfermeiros contratados".

Aquele organismo lembra aindaque "existe um diploma legal (Portaria n.º 67/2012, de 21 de março) que estabelece o rácio enfermeiro/utente, mas que a grande maioria não cumpre, impunemente". Segundo o SRSul da OE, alguns lares, com o objetivo de obter "maiores lucros", continuam a solicitar aos centros de saúde locais, do Serviço Nacional de Saúde (SNS), a deslocação de enfermeiros às suas instalações para prestação de cuidados de enfermagem aos utentes.

E conclui: "Esta situação permite alguma promiscuidade entre o público e o privado, facilitando que os privados lucrem à custa do erário público".


16h38 - OMS aponta Israel como país com alta taxa de infeção

O diário israelita Haaretz cita a Organização Mundial de Saúde como tendo afirmado que Israel, país asiático, é entre os países europeus o que tem a terceira mais alta taxa de infeções por Covid-19.

Até agora, Israel contra 36.266 casos diagnosticados e 351 mortes por Covid-19. Nos territórios ocupados, contabiliza-se 5.819 casos activos e 34 mortes na Margem Ocidental do Jordão e 72 casos activos e uma morte na Faixa de Gaza. Não se refere o número de mortes no território ocupado de Jerusalém Oriental.

15h53 - Odivelas defende manutenção de restrições nas zonas mais afetadas

O presidente da Câmara de Odivelas, Hugo Martins, em declarações citadas pela agência Lusa, considerou que têm sido "extremamente positivos" os resultados das medidas de prevenção do contágio, afirmando que "65% dos casos se encontram debelados" e que "tendencialmente haverá uma estabilização da situação".

O concelho de Odiverlas conta 380 casos ativos de covid-19 numa população de 160 mil habitantes.


15h21 - Länder alemães vão emitir dívida no valor de 95 mil milhões de euros

Dezasseis regiões alemãs vão emitir dívida para atenuar o impacto da pandemia na actividade económica, segundo hoje revelou a revista Der Spiegel. A dívida dos Länder vem juntar-se a uma dívida federal já emitida de 218.500 milhões, num contexto em que se espera para este ano uma contração económica na ordem dos 6 por cento.


15h00 - África. Mais 313 mortos nas últimas 24 horas

O número de mortos em África devido à Covid-19 subiu este sábado para 12.756, mais 313 nas últimas 24 horas, em cerca de 559 mil casos.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana, o número de infetados subiu para 559.013, mais 17.632 nas últimas 24 horas, enquanto o número de recuperados é hoje de 273.882, mais 9.161.

14h19 - Mais oito mortos, 342 novos casos e 305 recuperados em Portugal

De acordo com o novo boletim, há um total 46.221 casos confirmados desde o início da pandemia e o número de mortes em Portugal já atinge os 1.654. Houve um total de 30.655 recuperados.

Dos novos 342 novos casos, 259 foram registados em Lisboa e Vale do Tejo, ou seja, mais de 75 por cento. Os oito óbitos ocorreram nesta mesma região.

Quanto ao número de internados, há 459 pessoas internadas, das quais 68 nos cuidados intensivos. Na sexta-feira estavam internadas 471 pessoas, das quais 66 nos cuidados intensivos.

13h19 - Pelo menos 560 mil mortos e mais de 12,5 milhões de infetados no mundo

A pandemia do novo coronavírus já causou a morte a pelo menos 560.425 pessoas e infetou mais de 12,5 milhões em todo o mundo desde dezembro.

O balanço da agência France Presse estima também que houve 6.688.300 casos considerados curados pelas autoridades de saúde.

13h06 - Milhares de trabalhadores marroquinos retidos em Espanha

Mais de sete mil pessoas de origem marroquina, na maioria mulheres, estão retidas em Espanha depois de o seu país natal ter fechado fronteiras para evitar a propagação do novo coronavírus.

Muitas chegaram a território espanhol em março para a colheita da fruta, atividade comum entre marroquinos, que enviam depois para casa o dinheiro que ganham durante essa época.

“Já não temos dinheiro para comer, precisamos de voltar. Pedimos ao rei Mohammed VI que envie alguém que nos possa ajudar a regressar”, apelou uma das mulheres num vídeo a que a CNN teve acesso.

12h29 - Alerta do bastonário da Ordem dos Médicos

O bastonário da Ordem dos Médicos diz que são necessários mais médicos e mais enfermeiros para combater a pandemia do novo coronavírus no outono.

O semanário Expresso escreve este sábado que a Direção-Geral da Saúde foi alertada para um cenário muito provável de agravamento da pandemia depois do arranque do ano letivo e que esse alerta levou à preparação de um plano para fazer face ao aumento do número de infeções.

11h26 - Motorista francês morre após ataque de passageiros a quem pediu que usassem máscara

Em França, um motorista de autocarro morreu na sexta-feira, depois de ter ficado em morte cerebral na sequência de um violento ataque por parte de passageiros, isto depois de lhes ter pedido que utilizassem máscara como medida de prevenção contra o novo coronavírus.

O incidente está a merecer atenção a nível nacional, com cidadãos e figuras políticas a condenarem o "desprezível" e "cobarde" ataque.

10h27 - Emirates planeia eliminar até 9.000 postos de trabalho

A companhia aérea Emirates, dos Emirados Árabes Unidos (EAU), planeia eliminar até 9.000 postos de trabalho devido à diminuição da procura gerada pela pandemia da Covid-19.

10h23 - ANA Aeroportos avança com plano de "saídas voluntárias"

Os funcionários vão poder escolher uma de duas opções, ou uma redução do horário de trabalho presencial ou a opção do teletrabalho. Em qualquer um dos casos sofrem um corte de dez por cento no salário.

A empresa que gere os aeroportos nacionais pretende ainda redimensionar as equipas e reduzir os custos.

Em declarações à Antena 1, o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos, José Sousa, diz que as soluções apresentadas não fazem sentido, acrescentando que os funcionários não devem aceitar as propostas da ANA - Aeroportos. Propostas que implicam uma redução de dez por cento nos salários.


9h21 - DGS alerta para grandes picos de infeção em outubro

Os peritos alertam para a subida de casos de infeção no início de outubro, três semanas depois do arranque do ano letivo.


9h12 - China com dois novos casos vindos do exterior

A China registou nas últimas 24 horas dois novos casos da Covid-19, todos importados do exterior. De acordo com a Comissão Nacional de Saúde da China, estas duas infeções foram diagnosticadas nas províncias de Liaoning (nordeste) e Cantão (sul), todos viajantes oriundos do exterior.

8h57 - México com mais 665 mortos

O México registou 665 mortos e 6.891 casos da Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o total de óbitos para 34.191 e o de infetados para 289.174 desde o início da pandemia.

8h15 - Venezuela prolonga quarentena por mais 30 dias

O Governo venezuelano prolongou sexta-feira, até 13 de agosto, o estado de exceção em vigor desde março, o que permite ao executivo decretar "decisões drásticas" para combater a pandemia da Covid-19 no país com 8.803 casos confirmados e 83 mortes.

Nas últimas duas semanas o Governo venezuelano reforçou as restrições em todo o país, devido ao aumento de casos confirmados.

Os voos nacionais e internacionais estão restringidos.
Índia e Estados Unidos batem recordes de novos casos
Nos Estados Unidos, o país do mundo que regista maior número de casos confirmados e de vítimas mortais, registaram-se 65.305 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas.

Este é o novo máximo diário de novas infeções desde o início da pandemia, numa altura em que grande parte dos Estados continua a desconfinar.

Desde quarta-feira que o país tem vindo a registar recordes diários de infeções, sobretudo devido à evolução dos surtos na Florida, Texas, Califórnia, Arizona e Geórgia. 

Nas últimas 24 horas o país registou ainda 863 mortes. Os Estados Unidos são, de longe, o país no mundo com mais mortos e mais casos de infeção confirmados.

No total, o país contabiliza 133.969 óbitos e mais de três milhões de casos confirmados.

Também a Índia registou nas últimas 24 horas um novo recorde de casos diários, com 27.114 novas infeções. Um ressurgimento de casos fez saltar os casos de 600.000 para mais de 800.000 em apenas nove dias.

Se inicialmente o país não foi afetado pela pandemia em larga escala, a Índia é agora o terceiro país com mais casos do novo coronavírus depois de Estados Unidos e Brasil.

Oito dos 28 estados indianos, incluindo os mais atingidos Maharashtra, Tamil Nadu e Nova Deli, são responsáveis por quase 90% de todas as infeções.

A nova situação levou várias regiões a imporem um novo confinamento. Por exemplo, no estado mais populoso do país, Uttar Pradesh, foi implementado um confinamento que dura o fim de semana: todas as lojas devem fechar, excepto farmácias, supermercados ou estabelecimentos de venda de produtos alimentares.

No total, desde o início da pandemia, a Índia registou 820.916 casos do novo coronavírus e 22.123 mortos, 519 dos quais só nas últimas 24 horas.