Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

Amit Dave - Reuters

Acompanhamos aqui todos os desenvolvimentos sobre a propagação do SARS-CoV-2 à escala internacional.

Mais atualizações


23H00 - Brasil com mais 587 óbitos

O Brasil registou nas últimas 24 horas mais 587 mortes associadas ao novo coronavírus, totalizando agora 172.561 óbitos, dos 6.290.272 casos de covid-19 contabilizados no país lusófono, segundo dados oficiais hoje divulgados.

De acordo com o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde do Brasil, o país registou 51.922 novas infeções nas últimas 24 horas.

No país, cuja população ronda os 212 milhões de habitantes, a doença causada pelo novo coronavírus está com uma taxa de incidência de 82 mortes e 2.993 casos por cada 100 mil habitantes.

22h50 - SITAVA classifica como tragédia o Plano de Reestruturação da TAP

22h30 - CTT registam recordes no serviço expresso de encomendas

22h10 - Vacina anti-Covid-19 gratuita mas não obrigatória no Brasil
21h50 - Policia londrina deteve 155 em protestos anti-covid

As detenções não se deveram apenas a infrações às regras anti-pandemia, como o uso de máscara, mas também à posse de droga e por agressões aos membros das forças de segurança.

Os protestos na capital britânica são sinal do esgotamento de milhares de europeus com as restrições contra a Covid-19.
21h30 - Itália regista 26.323 novas infeções e 687 mortes em 24 horas

Itália registou 26.323 novas infeções por covid-19 e 687 mortes nas últimas 24 horas, um balanço inferior ao de sexta-feira, foi hoje divulgado.

De acordo com as mais recentes estatísticas oficiais, estão a diminuir os contágios e o número de hospitalizações (menos 405, para um total de 37.061) e de internamentos em cuidados intensivos (menos 20, para um total de 3.762).

Apesar de uma desaceleração mais acentuada da pandemia no país na semana passada, o Governo italiano mantém as restrições, como o recolher obrigatório a partir das 22:00.

Desde o início da pandemia, a Itália soma 1.564.532 infeções, das quais 54.362 mortes.

21h20 - Madeira regista 15 novos casos e um total de 196 infeções ativas

A Madeira registou hoje 15 novos casos de covid-19, 11 dos quais de transmissão local, oito recuperações e 56 situações suspeitas, indicou a Direção Regional de Saúde, referindo que o total de infeções ativas no arquipélago é de 196.

Quatro dos novos casos positivos são viajantes provenientes da Alemanha (dois), da Suécia (um) e da região de Lisboa e Vale do Tejo (um).

Entre os 11 casos de transmissão local, cinco dizem respeito a crianças e jovens com idades entre os 11 e os 19 anos, que frequentam estabelecimentos de ensino nos concelhos do Câmara de Lobos e Funchal, incluindo um de ensino superior, onde os planos de contingência foram ativados.

21h10 - França regista 213 mortes e 12.580 novos casos

França contabilizou hoje 213 mortos relacionados com a covid-19 e 12.580 novos casos de infeção, elevando o número total de positivos para 2,2 milhões desde o início da pandemia.

Com as 213 mortes nas últimas 24 horas registadas em hospitais franceses, o país contabiliza 52.127 mortos desde o início da pandemia.

21h00 - PSP e GNR fiscalizam proibição de circulação entre concelhos até terça-feira
20h50 - Comerciantes contestam realização do Congresso do PCP

20h35 - Vida quase normal nos 65 municípios que escapam ao confinamento

20h17 -  Comércio encerrado à tarde em 127 municípios
20h10 - Portugal com recorde de internados Covid-19 nas camas UCI
20H00 - O Reino Unido vai aprovar o uso da vacina da Pfizer e BioNtech já na próxima semana.

A informação é avançada pelo jornal Financial Times que garante que logo que a autorização seja concedida o processo de distribuição da vacina norte-americana pode começar horas depois.

O Reino Unido já encomendou 40 milhões de doses desta vacina que promete uma eficácia até 95% ...mas que apresenta um problema na armazenagem e distribuição.

A vacina precisa de ser conservada a pelo menos 70 graus negativos.

19h30 - Novo surto de covid-19 em Alcains, no concelho de Castelo Branco.

Quarenta e um idosos e 12 funcionários do lar Major Rato, em Alcains, testaram positivo. Estão todos assintomaticos.

O surto só foi conhecido depois de um dos idosos se ter deslocado ao hospital e ter sido testado.

17H10 - Supressão de comboios gera ajuntamentos na estação do Rossio 

A supressão de comboios gerou hoje a formação de ajuntamentos na estação do Rossio, em Lisboa, onde a PSP realizava uma operação policial, e impediu que centenas de passageiros cumprissem a hora estabelecida para o recolher obrigatório.

Pelas 12:30, sob vigilância de meia dúzia de agentes da PSP, começava-se já a adensar uma longa fila de passageiros na plataforma da estação do Rossio, aguardando a chegada do comboio com destino a Sintra.

Apesar do aviso da supressão de comboios já ter sido previamente divulgada na página da internet da CP - Comboios de Portugal e nas estações, muitos passageiros foram apanhados de surpresa e manifestaram o seu desagrado

16h30 - Portugal atinge novo máximo de doentes em cuidados intensivos

Portugal tem hoje 529 doentes com covid-19, internados em unidades de cuidados intensivos (UCI), um novo máximo desde o início da pandemia, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Os doentes com covid-19 internados hoje, em UCI, são mais três do que os contabilizados na sexta-feira, e superam o anterior máximo de 526 doentes, registado na também na sexta-feira.

16h20 - Portugueses resgatados de Wuhan regressam à cidade agora "mais segura" do mundo

Portugueses resgatados, em fevereiro passado, de Wuhan, regressaram, entretanto, à cidade chinesa onde foram diagnosticados os primeiros casos da covid-19, e sentem-se agora "no sítio mais seguro do mundo", após a China ter contido a epidemia.

Volvido quase um ano desde que foram detetados os primeiros casos de uma misteriosa pneumonia, a vida retornou à normalidade em Wuhan, enquanto o Partido Comunista Chinês parece ter reforçado a sua legitimidade, abalada inicialmente pela epidemia.

Situada no centro da China, a cidade, que permaneceu bloqueada durante mais de dois meses, obrigando ao resgate de milhares de estrangeiros, incluindo 20 portugueses, soma já meio ano sem novos casos.

"Estamos no sítio mais seguro do mundo", observa à agência Lusa o treinador de futebol Miguel Moreira, um dos 20 portugueses que, em fevereiro passado, voou para Portugal, numa operação coordenada pelas autoridades europeias.

Cerca de um mês e meio depois de Moreira ter sido resgatado, o continente europeu tornou-se o epicentro da epidemia, ultrapassando a China no número total de casos.

No total, a Europa soma hoje mais de 17 milhões de casos e quase 390 mil mortes, segundo dados do Centro Europeu para a Prevenção e Controlo da Doença. A China soma 86.495 infetados e 4.634 mortos desde o início da pandemia, de acordo com dados do Governo chinês.

O antigo guarda-redes dos clubes Paços de Ferreira, Varzim e Mafra regressou, entretanto, a Wuhan, para prosseguir o seu trabalho numa academia de futebol da cidade.

A preocupação em Wuhan, cujos cerca de onze milhões de habitantes estiveram durante mais de dois meses confinados em casa e proibidos de sair da cidade, é agora quem chega do exterior, à medida que a China regista sobretudo casos importados.

"As velhinhas afastam os netos quando me veem; o segurança no meu condomínio faz sempre questão de verificar a minha temperatura antes de me deixar entrar", descreve à Lusa António Rosa, professor de Design e Arte numa escola internacional de Wuhan, que foi também resgatado, mas acabou por voltar, em maio passado.

15h50 - Recuperação em África será lenta e desigual prevê Moody`s

A agência de notação financeira Moody`s considerou hoje que a recuperação económica em África será lenta e desigual, com a queda das receitas a exacerbar os desafios da sustentabilidade da dívida pública no continente.

"A recuperação económica será lenta e desigual, e a fraca recuperação da receita vai exacerbar os desafios sobre a sustentabilidade da dívida nos países da África subsaariana, ao passo que a diminuição das receitas em moeda estrangeira vai aumentar as vulnerabilidades externas", diz a Moody`s.

Numa nota sobre a recuperação das economias africanas, enviada aos clientes e a que a Lusa teve acesso, a Moody`s diz que estes fatores "vão contribuir para condições financeiras permanentemente apertadas, fontes de financiamento limitadas que coincidem precisamente com o aumento das necessidades de financiamento".

Nesta nota enviada aos investidores, a Moody`s escreve ainda que as fraquezas institucionais da generalidade dos governos africanos aumentam a probabilidade de o crescimento ser reduzido "por um período significativo de tempo, resultando em menores rendimentos, desigualdade aumentada e mais tensões sociais".

A crise trazida pela pandemia de covid-19 prejudica também a sustentabilidade da dívida pública, que tem crescido exponencialmente devido às necessidades de aumentar a despesa pública no combate à propagação da doença.

"Os países de baixo rendimento com elevados fardos da dívida e exposição aos riscos cambiais são os mais vulneráveis", assinala ainda a agência de notação financeira.

15h13 - Rússia prepara vacinação em massa

A Rússia está prestes a iniciar campanha de vacinação em massa contra a Covid19. Até 70 por cento dos russos podem ser imunizados nos próximos nove meses.

A vacina russa Sputnik está na terceira fase dos testes clínicos mas não é consensual entre a comunidade cientifica.


14h15 - Mais 87 mortos e 4.868 casos em Portugal nas últimas 24 horas

No total morreram 4.363 pessoas em Portugal desde o início da pandemia e houve registo de 290.706 casos confirmados.

Nas últimas 24 horas contabilizaram-se mais 6.829 casos recuperados, num total de 206.275 de doentes recuperados.

Houve uma diminuição nos internamentos - menos 53 pessoas internadas com Covid-19, - sendo agora o total de 3.155 doentes em todo o país que estão internados.

No entanto aumentou o número de internados nos cuidados intensivos: mais três pessoas, num total de 529 doentes internados em UCI, um novo máximo desde o início da pandemia em Portugal. 

A região Norte continua a apresentar os números mais elevados de mortes e casos. Nas últimas 24 horas houve mais 42 óbitos e 2.496 casos só nesta região. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo, com 29 óbitos e 1.313 casos e a região Centro com 11 óbitos e 775 casos.

O Alentejo contabiliza mais quatro óbitos e 127 novos casos e o Algarve mais um óbito e 94 novos casos.

Nas regiões autónomas, registaram-se mais 39 casos nos Açores e 24 novos casos na Madeira.

13h44 - Mais de 1,44 milhões de mortos

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.444.426 mortos em todo o mundo desde que surgiu em dezembro de 2019, na China. A indicação é do balanço diário deste sábado, feito pela agência France Presse.

Mais de 61.585.860 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-Cov-2 foram diagnosticados oficialmente no mesmo período e em todo o mundo, dos quais pelo menos 39.186.100 pessoas são hoje consideradas recuperadas da doença.

13h21 - Recolher obrigatório e proibição de circulação entre concelhos geram confusão

Em todo o país, está proibida a circulação entre concelhos desde as 23h00 de sexta-feira até às 5h00 de quarta-feira.

Nem todos fixaram esta medida e houve mesmo quem tivesse sido surpreendido pela PSP esta manhã de sábado.

12h46 - Ordem dos Médicos pede transparência

O bastonário e o Gabinete de Crise para a covid-19 da Ordem dos Médicos pediram hoje transparência, equidade e fundamentação na vacinação contra o novo coronavírus, manifestando disponibilidade para colaborar na proposta de vacinação nacional.

"As vacinas só são eficazes se forem administradas, pelo que todo este processo deve pautar-se pela maior transparência, rigor e fundamentação científica", refere uma nota de imprensa da Ordem dos Médicos, na sequência de notícias sobre os grupos prioritários de vacinação.

11h52 - África regista 305 mortes e 15.573 novos casos

África registou 305 mortes devido à covid-19 nas últimas 24 horas, contabilizando 51.229 vítimas mortais causadas pelo novo coronavírus, que já infetou 2.136.540 pessoas, mais 15.573 casos.

10h50 - Evolução da pandemia na região Norte

De acordo com os dados mais atualizados sobre a evolução da pandemia na região Norte, entre os dias de 12 a 25 de novembro, os concelhos de Freixo de Espada à Cinta, Póvoa de Lanhoso, Guimarães, Vila Nova de Famalicão, Fafe, Mondim de Basto, Lousada, Trofa, Póvoa de Varzim e Vila do Conde são os que apresentam maior incidência de casos por cada 100 mil habitantes.

Destaque para Freixo de Espada à Cinta, que ultrapassa os quatro mil casos por cem mil habitantes ou ainda para o aumento significativo de casos em Cabeceiras de Basto, Mondim de Basto e Vila Pouca de Aguiar.

10h03 - Medidas para o Natal vão ser conhecidas na próxima semana, diz PR

O Presidente da República diz que na próxima semana vão ser conhecidas as medidas a aplicar no Natal. Marcelo Rebelo de Sousa considera que não faz sentido esperar mais.

9h54 - Alemanha regista 21.695 novos casos

A Alemanha registou 21.695 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com dados atualizados do Instituto Robert Koch, números que apesar de elevados mostram uma tendência de desaceleração.

O número de mortes, igualmente nas últimas 24 horas, é de 379, abaixo do máximo registado num dia, 410, na última quarta-feira.

No sábado da semana passada, o número de novas infeções foi de 22.964 casos, segundo o RKI.

9h33 - Europa com mais de 400 mil mortes

Mais de 400.000 mortes pelo novo coronavírus já foram registadas na Europa, de acordo com um levantamento realizado pela agência de notícias AFP a partir de documentos fornecidos pelas autoridades de saúde às 8h00 de sábado.

A Europa é a segunda zona no mundo com mais mortes no mundo pela pandemia do SARS-CoV-2, com 400.649 óbitos e 17.606.370 infeções, ficando apenas atrás da América Latina e Caraíbas (444.026 mortes, 12.825.500 casos).

8h28 - Índia com 485 mortos e 41.322 casos nas últimas 24 horas

A Índia registou 485 mortos por covid-19 e 41.322 casos da doença nas últimas 24 horas, segundo os dados do Ministério indiano da Saúde.

Desde o início da pandemia, a Índia contabilizou mais de 9,3 milhões de casos do novo coronavírus (9.351.109), mantendo-se como o segundo país com mais infeções, atrás dos Estados Unidos.

Com 136.200 mortes desde o início da pandemia, a Índia é o terceiro país do mundo com mais óbitos, a seguir aos Estados Unidos e Brasil, segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins.

8h12 - Los Angeles proibe reuniões públicas e privadas

As autoridades da cidade de Los Angeles, Estados Unidos, proibiram temporariamente a maioria das reuniões públicas e privadas na à medida que a curva das novas contaminações covid-19 continua a subir.

"São proibidas todas as reuniões públicas e privadas de indivíduos não pertencentes ao mesmo agregado familiar, com exceção dos serviços religiosos e manifestações", indicaram as autoridades da maior cidade da Califórnia num comunicado.

8h00 - México regista 631 mortos

Nas últimas 24 horas o México registou 631 mortos e 12.081 infetados. Desde o início da pandemia, o número de óbitos subiu para 104.873 e o de casos para 1.090.675.
Recolher obrigatório

Este sábado é novamente dia de recolher obrigatório a partir das 13h00 em 127 concelhos. A medida estende-se ao fim de semana e ao feriado de terça-feira.

Já na segunda-feira, véspera de feriado, o recolher obrigatório acontece a partir das 15h00 da tarde.

Estas são medidas de exceção ao abrigo do Estado de Emergência que se aplicam aos concelhos onde o risco é considerado "muito elevado" ou "extremamente elevado"

Em todo o país, está proibida a circulação entre concelhos desde as 23h00 de sexta-feira até às 5h00 de quarta-feira.