Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

Reuters

Acompanhamos aqui todos os desenvolvimentos sobre a propagação do SARS-CoV-2 à escala internacional.

Mais atualizações

VEJA A INFOGRAFIA COM TODOS OS DADOS ATUALIZADOS DA SITUAÇÃO EM PORTUGAL. CLIQUE AQUI

VEJA A INFOGRAFIA COM TODOS OS DADOS ATUALIZADOS DA SITUAÇÃO NO MUNDO. CLIQUE AQUI


23h50 - Hospital do Brasil acusado de esconder mortes com Covid-19 provocadas por testes com medicamentos não-aprovados

Uma advogada denunciou ao Senado brasileiro, em nome de 12 médicos que preferem manter-se anónimos, a realização de testes em série no hospital Prevent Senior em pacientes idosos com Covid-19, num esforço de validar a cura "miraculosa" defendida pelo Presidente Jair Bolsonaro.

Os testes realizaram-se entre março e abril 2020, sem conhecimento das cobaias humanas e resultaram na morte de pelo menos nove dos pacientes, afirmou. Os relatórios oficiais ocultaram a real causa do obito, acrescentou a advogada Bruna Morato, perante uma comissão de inquérito do Senado brasileiro.

Morato referiu que a administração do hospital ameaçou e demitiu médicos que discordaram da aplicação de um "kit Covid" pré-determinado que incluia hidroxichloroquina, erithromicina and ivermectina, medicamentos sem provas clínicas de comprovativo de eficácia contra a Covid-19.

Na semana passada, Pedro Batista, dono e presidente executivo da cadeia de hospitais Prevent Senior, afirmou perante a mesma comissão que os relatórios dos doentes tinham sido alterados para remover referências à Covid-19 após estes estarem hospitalizados mais de duas semanas uma vez  que não apresentarem risco de contágio.

Batista negou as acusações de testes em série com desconhecimento dos pacientes, referindo que estes pediam tratamentos em ensaios clinicos, que eram prescritos por decisão dos médicos conforme estes consideravam correcto. "Toda a gente recorda comentários do Presidente e de outras pessoas influentes, por isso havia muitos pacientes a pedir tratamentos", afirmou Batista.

23h40 - United Airlines despede 593 funcionários não vacinados

A empresa aérea norte-americana United Airlines anunciou que vai dispensar 593 pessoas que não apresentaram os comprovativos de vacinação exigidos pela companhia no início de agosto.

Entre os 67.000 empregados da UA cerca de 2000, ou 3% pediram escusa da vacinação com base em razões médicas ou religiosas.

No resto dos funcionários, mais de 99% preferiram vacinar-se.

23h30 - Brasil atinge 595 mil mortes após registar 793 óbitos em 24 horas

O Brasil registou 793 óbitos devido à covid-19 nas últimas 24 horas, tendo atingido as 595 mil mortes (595.446) desde que a pandemia chegou ao país, em fevereiro de 2020, informou hoje o executivo.

Em relação ao número de infeções, a nação sul-americana, com 213 milhões de habitantes, concentra 21.381.790 casos de covid-19, após ter contabilizado 15.395 diagnósticos positivos entre segunda-feira e hoje.

A taxa de incidência da doença causada pelo novo coronavírus no Brasil é agora de 283 mortes e 10.175 casos por 100 mil habitantes, segundo dados do Ministério da Saúde.

23h20 - EUA. Efeitos secundários da terceira dose de reforço "semelhantes" aos da 2ªa dose

Um estudo publicado pelas autoridades sanitárias dos Estados Unidos da América indica que os efeitos secundários observados após uma dose de reforço das vacinas anti-Covid-19 da Pfizer e da Moderna são geralmente "semelhantes" às referidas apos a segunda dose.

Os dados foram recolhidos junto de vários milhares de pessoas que pediram e receberam a terceira dose entre meados de agostos e meados de setembro, quando esta foi autorizada para pessoas com problemas imunitários.

"O estudo demonstra que as doses de reforço são para já bem toleradas" declarou Rochelle Walensky, diretora dos Centros de Prevenção e Combate às Doenças, CDC, em conferência de imprensa.

22h50 - Cabo Verde soma mais 29 novos casos em 24 horas

Cabo Verde somou mais 29 novos casos positivos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando para um total de 37,501 casos acumulados desde o início da pandemia, informou hoje o Ministério da Saúde.

De um total de 796 amostras analisadas, aquele ministério cabo-verdiano avançou que há 29 casos novos positivos de infeção pelo novo coronavírus, numa taxa de positividade de 3,6%.

22h30 - Portugal entrega 110 mil doses da vacina Astrazeneca a Moçambique

Portugal entrega na quarta-feira a Moçambique 110 mil doses da vacina Astrazeneca contra a covid-19, anunciou hoje o governo português.

"Com esta nova entrega, ascendem a 160 mil as vacinas doadas por Portugal a Moçambique", no âmbito do compromisso político de doar aos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste pelo menos 5% das vacinas adquiridas por Portugal, explica em comunicado.

A doação acontece numa altura em que Moçambique quer acelerar a vacinação.

22h20 - Organização denuncia na ONU omissões do Brasil no combate à pandemia entre indígenas

O Conselho Indigenista Missionário (Cimi), que defende os direitos dos indígenas denunciou hoje supostas 'omissões deliberadas' que marcaram a atuação do Governo brasileiro no combate à pandemia do coronavírus entre os povos indígenas.

"As forças políticas predominantes no Brasil aproveitam a pandemia para desmantelar uma sólida governança ambiental e indígena, conseguida com sacrifícios após a redemocratização do país", afirmou o coordenador do Cimi Regional Sul, Roberto Liebgott, durante uma participação num painel da 48.ª sessão do Conselho de Direitos Humanos (CDH) das Nações Unidas (ONU), que discutia a situação dos direitos humanos dos povos indígenas na pandemia.

Na intervenção, fez referência a medidas tomadas pelo Governo brasileiro e pelo poder Legislativo que, segundo o Cimi, teriam aproveitado a pandemia para flexibilizar uma série de medidas de proteção ambiental e retirar direitos territoriais dos povos.

Em comunicado, o Cimi deu alguns exemplos como as "medidas do Governo como a Instrução Normativa (IN) 09/2020, da Funai (Fundação Nacional do Índio), que liberalizou a certificação de propriedades privadas sobre terras indígenas, e da Instrução Normativa Conjunta 01/2021, da Funai e do Ibama, que liberalizou a participação de não índios em associações voltadas para realizar empreendimentos dentro de terras indígenas."

21h55 - PSD quer ouvir Gouveia e Melo no parlamento para balanço da vacinação

O Grupo Parlamentar do PSD requereu hoje uma audição no parlamento, com o coordenador da 'task-force' responsável pela vacinação contra a covid-19, o vice-almirante Gouveia e Melo, para fazer um balanço do processo.

No texto, os sociais-democratas justificam a audição na Comissão Eventual para o acompanhamento da aplicação das medidas de resposta à pandemia da doença covid-19 com a "aproximação do cumprimento da meta dos 85% de população vacinada contra a covid-19, desiderato máximo da 'task-force'".

"O GPPSD (grupo parlamentar do PSD) pretende que seja feito o devido balanço do processo de vacinação por esta comissão, responsável pelo acompanhamento das medidas de combate à pandemia", lê-se no texto.

21h35 - Madeira regista 21 novos casos e 105 situações ativas

A Madeira sinalizou 21 novos casos de covid-19 e mais sete recuperados nas últimas 24 horas, num dia em que as autoridades de saúde têm identificadas 105 situações ativas e registam quatro pessoas hospitalizadas.

21h10 - Moçambique anuncia mais duas mortes, 32 casos e 255 recuperados

Moçambique registou mais duas mortes associadas ao novo coronavírus, 32 casos de infeção e 255 recuperados da doença, anunciou hoje o Ministério da Saúde.

As mortes ocorreram nos últimos dois dias, em pessoas de nacionalidade moçambicana com idades entre 24 e 43 anos.

20h52 - Norte, Centro e Alentejo atingem meta de 85% de vacinação completa

O Norte, o Centro e o Alentejo já alcançaram a meta de 85% da população totalmente vacinada contra a covid-19, sendo o Algarve a única região que está abaixo dos 80%, anunciou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o relatório semanal da DGS, o Norte é a região que apresenta uma cobertura vacinal da população residente mais elevada, com 86%, logo seguido do Centro e do Alentejo, as duas com 85%.

Abaixo deste objetivo dos 85%, que serviu como referência para a terceira e última fase do plano de desconfinamento que entra em vigor a 01 de outubro, estão Lisboa e Vale do Tejo (82%), os Açores e a Madeira (81%) e o Algarve (77%).


17h40 - Espanha regista 2.290 novos casos e 60 mortes nas últimas 24 horas

A Espanha registou 2.290 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, tendo o Ministério da Saúde espanhol também notificado mais 60 mortes atribuídas à doença durante esse período.

O número total de casos registados no país desde o início da pandemia é de 4.953.930 e já morreram 86.358 devido à doença.

Por outro lado, a incidência acumulada de contágios continua a baixar, tendo passado de 65 casos (segunda-feira) para 63 (hoje) por cada 100.000 habitantes nos últimos 14 dias.

16h58 - Brasil vai administrar terceiras doses a maiores de 60 anos

O ministro da Saúde do Brasil, Marcelo Queiroga, anunciou esta terça-feira que o país vai disponibilizar terceiras doses de reforço a todas as pessoas com mais de 60 anos. Segundo o ministro, existem cerca de sete milhões de brasileiros elegíveis para a dose de reforço.


Na rede social Twitter, Marcelo Queiroga afirma que esta decisão é resultado do avanço da campanha de vacinação, "que segue a um ritmo acelerado".

O Brasil já tinha aprovado a administração de uma dose de reforço a profissionais de saúde e maiores de 70 anos.

16h25 - Testes em massa à população de Macau concluídos, todos os resultados negativos

As autoridades de Macau anunciaram hoje que os resultados dos testes de covid-19 à população, iniciados no sábado e concluídos hoje, foram "todos negativos", tendo sido testadas quase 690 mil pessoas.

"No total foram recolhidas amostras de 689.766 pessoas e todos os resultados deram negativo", informou o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, em comunicado.

Macau concluiu hoje os testes em massa a toda a população iniciados no sábado, após ter detetado um caso num viajante proveniente da Turquia, na sexta-feira, e mais dois casos conexos no dia seguinte, dois seguranças em hotéis onde se realizam quarentenas obrigatórias para quem chega ao território.

Apesar de as quase 690 mil pessoas testadas desde sábado terem tido resultado negativo, as autoridades detetaram infeções de covid-19 em mais sete pessoas, além do primeiro viajante diagnosticado na sexta-feira: seis seguranças e mais uma viajante, proveniente de Hong Kong.

A proliferação de casos entre os seguranças já tinha levado hoje as autoridades de saúde a anunciar a transferência de mais de 150 pessoas que cumpriam quarentena num dos hotéis, por prevenção, com o período de isolamento a ser estendido em alguns casos.

15h42 - Presidente sul-africano pede à OMC alívio urgente dos direitos de propriedade intelectual sobre vacinas

O Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, pediu hoje à OMC um alívio urgente dos direitos de propriedade intelectual sobre vacinas e outras tecnologias médicas utilizadas contra a covid-19, perante a grave escassez de doses que os países pobres enfrentam.

"O mundo está a sofrer atualmente os efeitos debilitantes da desigualdade nos padrões de produção globais. Embora o engenho humano tenha produzido várias vacinas anti-covid-19 seguras e eficazes, a inércia humana e o egocentrismo limitaram gravemente o acesso a estas vacinas a muitas pessoas em todo o mundo", afirmou Ramaphosa.

Numa intervenção numa mesa-redonda da Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre a pandemia e o comércio, o Presidente sul-africano defendeu com veemência a remoção temporária das proteções de propriedade intelectual contra a covid-19.

"A adoção de uma derrogação limitada no tempo, como proposto pela África do Sul e pela Índia - e agora apoiada por muitos países em todo o mundo - é urgente, se quisermos salvar milhões de vidas", afirmou.

"A OMC tem um papel central a desempenhar na remoção das barreiras comerciais e de propriedade intelectual para estimular e diversificar a produção de vacinas, testes e terapêuticas", sublinhou ainda.

14h04 - Mais sete mortes e 600 casos confirmados em Portugal

Nas últimas 24 horas, Portugal reportou mais 600 infeções por Covid-19 e sete mortes associadas à doença.

Estão internados neste momento em enfermaria 399 doentes, menos 21 do que no dia anterior. Em unidades de cuidados intensivos estão 74 doentes, menos cinco do que na véspera.

O relatório da Direção-Geral da Saúde reporta ainda mais 1331 recuperações, para um total de 1.019.266.

Do total de novos casos, 189 foram registados em Lisboa e Vale do Tejo, 183 na região norte, 69 no centro, 59 no Alentejo e 59 no Algarve. Há ainda registo de 21 novas infeções nos Açores e 20 na Madeira.

Relativamente aos óbitos, estes foram registados na região norte (dois), Lisboa e Vale do Tejo (dois), Algarve (dois) e centro (um).

O boletim reporta ainda menos 738 casos ativos e menos 454 contactos em vigilância.

Desde que foi identificado o primeiro caso de Covid-19 em Portugal, já foram confirmadas 1.067.775 infeções e 17.962 mortes associadas à doença.

13h50 - Gouveia e Melo de despedida da Task-Force

Missão cumprida. É com este espírito que Gouveia e Melo dá por terminada a missão da Task-Force.
O vice-almirante revelou esta manhã que 84,03 por cento da população residente em Portugal está vacinada contra a Covid-19. Uma meta que mereceu o aplauso do primeiro-ministro.

13h15 - Centros de vacinação começam a fechar

Com praticamente 85 por cento da população vacinada contra a Covid-19, alguns centros começam a fechar. É o caso de Espinho, que passa a manter apenas uma unidade em funcionamento.


12h32 - Pandemia matou mais de 4,75 milhões de pessoas em todo o mundo

A pandemia provocada pelo novo coronavírus já fez pelo menos 4.752.875 mortos em todo o mundo desde que foi notificado o primeiro caso na China, segundo o balanço diário da agência France-Press.

Mais de 232.273.010 pessoas foram infetadas pelo novo coronavírus em todo o mundo, segundo o balanço, feito às 10:00 TMG (11:00 em Lisboa) de hoje com base em fontes oficiais.

Na segunda-feira, registaram-se 7.345 mortes e 503.272 novas infeções, segundo os números coligidos e divulgados pela agência.

Os países que registaram mais mortes nesse dia foram os Estados Unidos (2.403), Rússia (852) e Irão (289).

Os Estados Unidos continuam a ser o país mais afetado, tanto em número de mortes como de infeções, com um total de 690.426 mortes e 43.116.432 casos, segundo os dados da universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil, com 594.653 mortos e 21.366.395 casos, a Índia, com 447.373 mortos (33.697.581 casos), o México, com 275.676 mortos (3.635.807 casos) e a Rússia, com 205.531 mortos (7.464.708 casos).

12h12 - Gouveia e Melo diz que é hora de regressar ao anonimato das suas funções

O coordenador da 'task force', Gouveia e Melo, que terminou hoje a sua missão de planificação e gestão do processo de vacinação contra a covid-19, disse que agora é o momento de regressar ao anonimato das suas funções militares.

À margem da sessão em que foi anunciado o fim da missão da equipa coordenadora do processo de vacinação, o vice-almirante Gouveia e Melo agradeceu, em jeito de balanço de oito meses de trabalho à frente deste processo, à população e a todas entidades e profissionais envolvidos no plano de vacinação.

"O balanço é agradecer à população portuguesa por ter contribuído para o processo de vacinação, agradecer aos profissionais de saúde, entre eles, os enfermeiros, mas todos os outros, os auxiliares, e a todo o Ministério da Saúde, com todos os seus organismos", disse o vice-almirante aos jornalistas, na sede da 'task force', em Oeiras, distrito de Lisboa.

"Julgo que temos de estar todos contentes por termos em conjunto feito uma coisa que vai ficar na história e agora vou-me despedir e vou voltar ao anonimato das minhas funções militares que é como deve de ser. Muito obrigada por tudo", declarou Henrique Gouveia e Melo.

11h47 - Desconfinamento avança no próximo dia 1 mesmo não atingindo os 85% de vacinação

11h45 - África com mais 437 mortes e 8.298 infetados nas últimas 24 horas

11h44 - Portugal já doou quase dois milhões de vacinas

Portugal já doou aproximadamente dois milhões de vacinas contra a covid-19, revelou hoje o coordenador da 'task force' da vacinação, que oficializou também o fim da sua missão de gestão logística no âmbito da pandemia.

Perante o primeiro-ministro, António Costa, a ministra da Saúde, Marta Temido, e o ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, o vice-almirante Gouveia e Melo, responsável até agora pela coordenação do processo de vacinação contra a covid-19, destacou o país como um dos que mais doações de vacinas fez a nível internacional.

"Chegaram, grosso modo, 20 milhões de vacinas. Já doámos cerca de dois milhões de vacinas, 10% do que adquirimos", disse Gouveia e Melo, explicando ainda que dois milhões estão em stock e mais de 15 milhões foram administradas à população.

11h10 - 'Task Force' vai contactar "pessoa a pessoa" que ainda não foi receber a 2.ª dose

A 'task force' anunciou hoje que vai começar a telefonar "pessoa a pessoa" das 80 mil elegíveis para receber a segunda dose da vacina contra a covid-19 para perceber porque não estão a comparecer e a responder aos apelos.

"Neste momento, estamos em 86,5% das primeiras doses e já passámos os 84,3% das segundas doses, a caminho dos 85%, apesar de agora, nesta fase final, parece que as pessoas se esqueceram de que têm que tomar a segunda dose", disse o coordenador da organização na sede da 'Task Force', em Oeiras, distrito de Lisboa, onde o primeiro-ministro, António Costa, e a ministra da Saúde, Marta Temido, participam na reunião do Plano de vacinação contra a covid-19.

Na realidade, adiantou, no máximo da população elegível, falta vacinar mais 345 mil pessoas, dos quais cerca de 140 mil ainda não são elegíveis porque recuperaram.

Contudo, observou Gouveia e Melo, "há 80 mil pessoas que já recuperaram", acrescentando: "E nós ainda não as conseguimos trazer ao processo de vacinação apesar dos apelos que fazemos".

10h39 - Japão suspende estado de emergência a 1 de outubro

O Japão vai suspender o estado de emergência devido à covid-19 em vigor em Tóquio e em 18 outros municípios do país, em 1 de outubro, após observar uma queda acentuada nos casos diários e em pacientes graves.

O anúncio foi feito hoje pelo primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, que justificou a decisão com a "diminuição do número de novas infeções e da ocupação de camas hospitalares", após uma reunião do Governo com o grupo de especialistas na doença.

A ocupação de camas em hospitais por doentes infetados com covid-19 foi reduzida para menos de 50% e o número de casos mais graves caiu para metade em comparação com o pico máximo registado em agosto, observou Suga.

10h19 - PM agradece trabalho realizado pelo vice-almirante Gouveia e Melo na task-force da vacinação

"Queria agradecer-lhe a si a à sua equipa para sublinhar o grande contributo das Forças Armadas", disse o primeiro-minsitro. 

António Costa acrescentou, depois, que "foi um enorme esforço nacional, todos tiveram um contributo decisivo para que isto fosse possível. Nada teria sido possível sem os profissionais de saúde. Em particular os profissionais de enfermagem. Porque na ponta da agulha está o enfermeiro ou enfermeira".

10h14 - PM diz que Portugal tem contratadas vacinas para vacinar toda a população com terceira dose se essa for a decisão

09h54 - O vice-almirante Gouveia e Melo diz que há já 500 mil jovens vacinados para a Covid-19, num ponto de situação que está a fazer esta manhã com a presença do primeiro-ministro

A `task force` responsável pelo plano de vacinação contra a covid-19 terminou a sua missão de planificação e gestão logística no contexto da pandemia, anunciou hoje o coordenador da equipa, Henrique Gouveia e Melo.

09h38 - Vacinação em Portugal já está nos 84,03 por cento da população

"Estamos em 84 e qualquer coisa de segundas doses. Já podíamos ter atingido os 85% de vacinação completa, mas vamos relembrar algumas pessoas e dentro de semana ou semana e meia, senhor primeiro-ministro, terá os 85%", disse o vice-almirante, confirmando que este é "o último `briefing`" sobre a pandemia: "Acho que entrego a minha missão, está terminada e agora fica o núcleo a fazer a transição".

09h36 - Rússia com mais 852 vítimas mortais e 21.559 novos casos

09h27 - Fabrico de vacinas da gripe por RNA podem ser mais rápidas

8h20 - Índia regista o menor número de mortes desde meados de março

A Índia registou 179 mortes por Covid-19 na terça-feira, o menor número diário de vítimas desde meados de março, elevando o total para 447.373.

As infeções aumentaram em 18.795, o menor aumento desde o início de março, elevando o total para cerca de 33,7 milhões.

7h55 - Farmacêutica francesa Sanofi interrompe desenvolvimento de vacina de RNA mensageiro

A farmacêutica francesa Sanofi anunciou hoje que vai parar o desenvolvimento da sua vacina de RNA mensageiro.

Apesar dos resultados interinos positivos para o ensaio da fase 1-2 da sua vacina, a Sanofi acredita que seria demasiado tarde para chegar ao mercado, quando um total de 12 mil milhões de doses de vacina Covid terão sido produzidas até ao final do ano.

7h30 - DGS lança guia para promover vigilância da saúde mental dos trabalhadores

A Direção-Geral da Saúde (DGS) lança hoje um guia de boas práticas e de vigilância dos riscos de saúde mental a que os trabalhadores estão sujeitos e que foram potenciados com o teletrabalho imposto pela pandemia.

"A situação da covid-19 e todas as consequências de termos estado em confinamento, com o trabalho isolado e à distância, acabou por ocasionar um certo grau de alteração ao nível das perturbações mentais e veio potenciar este tipo de situação", disse à Lusa o responsável do grupo de peritos que elaborou o documento técnico, no âmbito do Programa Nacional de Saúde Ocupacional (PNSOC).

Segundo José Rocha Nogueira, "estimativas conservadoras" indicam que entre "20% a 50% dos trabalhadores que estejam em determinadas condições de trabalho podem vir a desenvolver perturbações psicológicas" relacionadas com a sua atividade laboral.
Gabinete de coordenação do plano de vacinação deve cumprir hoje último dia de trabalho
A RTP sabe que Gouveia e Melo vai comunicar ao primeiro-ministro a conclusão da missão que lhe foi confiada, numa reunião às 9h00.

Este gabinete de coordenação foi criado em novembro do ano passado, e em Fevereiro deste ano passou a ser liderada pelo vice-Almirante Gouveia e Melo, na sequência da demissão de Francisco Ramos.

O objetivo era atingir a meta de imunidade de grupo, que passou a ser 85% da população vacinada.

No domingo ao fim do dia, a marca estava nos 83,9 por cento.

Na quinta-feira passada, António Costa anunciou que Portugal continental estava "em condições de avançar" para a terceira e última fase do desconfinamento e adiantou que, esta semana, seria atingida a meta de 85% da população com a vacinação completa.

A imunização de 85% dos residentes constituiu a referência definida pelo Governo para avançar para esta terceira etapa do plano de alívio das restrições impostas para controlar a pandemia, que entram em vigor a 1 de outubro.

De acordo com o mais recente boletim epidemiológico, Portugal registou em 24 horas apenas um morto, o que não acontecia desde 8 de maio.

Há ainda mais 230 casos de infeção.

Estão internados em enfermaria 420 doentes, mais 5 do que em relação ao boletim anterior.

Há 79 nos Cuidados Intensivos, menos 4 do que nas 24 horas anteriores.

Recuperaram da doença mais 479 pessoas.

Portugal tem 31.285 casos ativos, menos 250 do que na véspera.