Covid-19. Peru impõe novo recolher obrigatório

por Mário Aleixo - RTP
Os peruanos vão voltar para casa depois do aumento do número de contágios de covid-19 EPA

O Peru anunciou o regresso do recolher obrigatório ao domingo, tendo proibido igualmente as reuniões familiares, principal fonte de contágio com o novo coronavírus no país, após registar um recorde diário de infeções.

Em 24 horas foram diagnosticados 8.875 novos casos da doença, de acordo com o Ministério da Saúde peruano, o valor mais alto desde 31 de maio, quando se contabilizaram 8.805 infeções num só dia.

O número de casos diminuiu em meados de junho, mas voltou a aumentar desde o levantamento da quarentena em 18 dos 25 departamentos do país, incluindo a capital, Lima.

O Peru iniciou o desconfinamento gradual em 1 de julho, após cem dias de quarentena.

Os restaurantes reabriram e os voos domésticos foram retomados, mas a flexibilização, destinada a reavivar a economia, levou a um ressurgimento de infeções, criando receios de sobrelotação hospitalar.

O governo decidiu restabelecer o recolher obrigatório dominical, a partir de 16 de agosto, anunciou o presidente peruano, Martin Vizcarra.

O exército vai conduzir operações para assegurar o cumprimento da medida, que já tinha estado em vigor de abril a junho, acrescentou.

Desde o início da pandemia, o Peru registou 498.555 infeções e 21.713 mortes por covid-19, incluindo 212 óbitos nas últimas 24 horas, de acordo com o relatório oficial.

pub