Criação de força europeia de proteção civil voltou à agenda da Comissão - António Costa

| Mundo

O primeiro-ministro afirmou que os incêndios florestais motivaram hoje "uma atenção muito grande" no Conselho Europeu e revelou que Jean-Claude Juncker deu instruções para que a Comissão voltasse a estudar a criação de uma força europeia de proteção civil.

Em declarações após a primeira sessão de trabalhos do Conselho que decorre em Bruxelas, António Costa apontou que o presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, "relembrou uma proposta antiga de criação de uma força europeia de proteção civil, que foi, aliás, objeto de trabalho durante presidência portuguesa em 2007".

Além disso, acrescentou, o presidente do executivo comunitário "informou que tinha dado instruções para que a Comissão voltasse a esse tema, de forma a criar uma bolsa que dessa capacidade de resposta em situações de exceção".

"O presidente Juncker manifestou também a vontade de ser agilizado o fundo europeu de solidariedade, de forma a evitar a enorme carga burocrática que sempre envolve a sua mobilização e, por outro lado, manifestou também a vontade de estudar aprofundadamente as questões relativas aos problemas estruturais da floresta portuguesa e, nesse sentido, encarregou a comissária [da Política Regional, Corina] Cretu de poder fazer um estudo sobre essa matéria", disse.

 

 

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.