Dezenas de ataques bombistas no sul da Tailândia

| Mundo

As autoridades tailandesas afirmaram hoje que duas mulheres ficaram feridas, na sequência de vários ataques bombistas por alegados extremistas muçulmanos em quatro províncias no sul do país.

Um porta-voz do comando de segurança conjunta dos militares e dos policias do sul da Tailândia declarou que os atentados ocorreram no domingo à noite e que cerca de duas dúzias de explosivos foram colocados perto de caixas de multibanco, postes de eletricidade e de alguns edifícios, nas províncias de Yala, Pattani, Narathiwa e Songkhla.

Os ataques com armas ligeiras, homicídios e atentados com explosivos acontecem frequentemente nas províncias de Yala, Pattani e Narathiwat, de maioria muçulmana e etnia malaia. Desta vez, os ataques bombistas chegaram também à província de Songkhla.

Mais de 6.500 pessoas morreram no sul da Tailândia desde que o movimento separatista muçulmano retomou a luta armada em 2004.

As recentes negociações para um cessar-fogo entre as autoridades e as fações separatistas não registaram, até ao momento, quaisquer progressos.

Os rebeldes denunciam a discriminação que sofrem por parte da maioria budista da Tailândia e exigem a criação de um Estado islâmico que integre estas três províncias que configuravam o antigo sultanato de Pattani, anexado pela Tailândia há cerca de um século.

Tópicos:

Yala Pattani Narathiwa,

A informação mais vista

+ Em Foco

Raptos e assassínios de opositores em países estrangeiros, levados a cabo pelos serviços secretos, têm um longo historial.

Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.