Dezenas de milhares manifestam-se no Irão em defesa do regime

| Mundo

|

Dezenas de milhares de manifestantes pró-regime concentraram-se hoje em várias cidades do Irão para condenar os distúrbios que agitam o país há quase uma semana, após uma noite mais calma do que as anteriores.

Munidos de cartazes que denunciavam "os desordeiros", os manifestantes retomaram palavras de ordem de apoio ao líder supremo, o ayatollah Ali Khamenei, mas também "morte à América" ou "morte a Israel", segundo imagens difundidas pela televisão estatal.

A televisão mostrou imagens em direto de manifestações em Ahvaz (sudoeste), Arak (centro), Ilam (oeste), Gorgan (norte), e Kermanshah (oeste).

"Oferecemos ao nosso guia o sangue que corre nas nossas veias", gritavam ainda os manifestantes, alguns dos quais acenavam bandeiras do Irão.

Estas manifestações surgem depois de uma noite calma na capital, Teerão, em contraste com os protestos, que se realizam desde 28 de dezembro, contra a austeridade económica e a corrupção.

Os protestos contra o Governo resultaram até agora em 21 mortos, a maioria manifestantes, e centenas de detenções.

Tópicos:

Ahvaz, Kermanshah,

A informação mais vista

+ Em Foco

O homem que se deixa guiar mais pela racionalidade e disciplina considera que chegou o momento de “mobilizar os portugueses e com eles restabelecer a confiança num futuro melhor”.

    Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

      Em entrevista ao programa Visão Global da Antena 1, o ministro dos Negócios Estrangeiros reforça o apoio ao diálogo político na Venezuela e falou sobre as relações entre Portugal e Angola.

      O ministro da Administração Interna garante em entrevista à Antena 1 que não será "nem para o ano, nem daqui por dois" que ser resolve o problema dos incêndios em Portugal.