Dissidente cubano condenado a três anos de cadeia por agressão

| Mundo

O dissidente cubano Eduardo Cardet foi condenado a três anos de cadeia por agressão, uma acusação que os apoiantes de Cardet consideram ser falsa, informou na segunda-feira a mulher.

Eduardo Cardet, coordenador do ilegalizado Movimento Cristão de Libertação, foi acusado de atentado contra um agente da autoridade e detido cinco dias depois da morte do histórico líder cubano Fidel Castro, explicou a mulher, Yaimary Vecino, à agência noticiosa norte-americana Associated Press (AP).

Yaimary Vecino disse que Cardet estava na cela quando foi informado, na segunda-feira à tarde, que tinha sido condenado à pena máxima prevista para o delito.

Cardet vai recorrer da sentença, afirmou.

"Eu nunca pensei que seria assim", acrescentou Yaimary, indicando que Eduardo Cardet teve "uma defesa forte".

Yaimary Vecino contou que o marido foi detido no outono, um dia depois de regressar de uma viagem aos Estados Unidos.

De acordo com a organização não-governamental de defesa dos direitos humanos Amnistia Internacional (AI), cinco testemunhas afirmaram que Cardet foi empurrado da bicicleta e detido por cinco agentes, quando regressava a casa da mãe em 30 de novembro.

Em janeiro, a AI considerou Cardet um preso de consciência, detido por exercer liberdade de expressão, e pediu ao governo de Cuba para o libertar.

As autoridades cubanas consideram frequentemente os dissidentes como traidores pagos pela administração norte-americana e grupos no exílio que procuram derrubar o governo do Presidente cubano, Raul Castro.

O Movimento Cristão de Libertação foi fundado pelo dissidente Oswaldo Paya, que morreu num acidente de carro em 2012.

Muitos dissidentes acusam o governo de ter causado o sinistro, o que Havana negou, afirmando que o acidente foi causado por um erro do condutor.

Tópicos:

Amnistia, Cardet, Cristão, Fidel, Havana,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.