Cimeira nuclear. Trump reúne-se em maio com Jong-un

| Mundo

"Há um grande progresso, mas as sanções vão continuar até haver um acordo. A reunião está a ser planeada!", escreve Trump no Twitter
|

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vai reunir-se em maio com o homólogo da Coreia do Norte, Kim Jong-un, anunciou um dirigente sul-coreano.

A reunião foi proposta por Kim Jong-un, que ofereceu a suspensão do programa nuclear e balístico em troca do início de negociações, informaram representantes sul-coreanos em Washington.

O diretor do gabinete de Segurança Nacional da Coreia do Sul, Chung Eui-yong, que liderou a delegação sul-coreana enviada a Washington, entregou ontem a Trump uma carta assinada na segunda-feira por Kim Jong-un.


O Presidente norte-americano já escreveu sobre o assunto no Twitter. A intenção do presidente da Coreia do Norte, afirma Donald Trump, é avançar com a desnuclearização, "não apenas um congelamento" do programa nuclear.
"Há um grande progresso, mas as sanções vão continuar até haver um acordo. A reunião está a ser planeada!", conclui Trump.

O primeiro-ministro japonês também já reagiu a este anúncio, felicitando a mudança de atitude da Coreia do Norte. No entanto, diz que é preciso manter a máxima pressão sobre o regime norte-coreano.

Shinzo Abe falou ao telefone com Donald Trump, que concordou com a posição japonesa. O chefe do Executivo japonês deverá visitar os Estados Unidos em abril, precisamente para discutir a questão da Coreia do Norte.

Perante a notícia desta cimeira, o comentador de assuntos internacionais da Antena 1 Filipe Vasconcelos Romão sublinha que ainda não é possível perceber o que levou a Coreia do Norte a mudar de atitude, numa altura em que tem havido sucessivos avanços e recuos por parte do regime, mas também de Administração norte-americana.

Filipe Vasconcelos Romão admite mesmo que possa tratar-se de um golpe de marketing que serve a Presidência de Trump.

A informação mais vista

+ Em Foco

O ministro dos Negócios Estrangeiros considera, em entrevista à Antena 1, que Portugal tem a vantagem de não ter movimentos populistas organizados.

    Segundo um relatório da Amnistia Internacional, o número de mulheres vítimas de violência doméstica em Portugal continua elevado.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.