Donald Tusk diz que G7 vai ser “um teste difícil à unidade e solidariedade”

| Mundo
Donald Tusk diz que G7 vai ser “um teste difícil à unidade e solidariedade”

Foto: Christian Hartmann - Reuters

A cimeira do G7 vai ser “um teste difícil à unidade e solidariedade numa altura em que tem sido muito difícil encontrar uma linguagem comum”. Estas foram palavras do presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, num encontro com jornalistas antes do início da cimeira em Biarritz, França.

Tusk disse que as guerras comerciais entre membros do grupo tornam ainda mais débil a já frágil relação de confiança entre os países e respondeu à proposta de Trump de levar a Rússia de volta ao G7 dizendo que “isso não é de maneira nenhuma aceitável” e que melhor seria convidar a Ucrânia a participar como observador na próxima reunião.

Tusk disse ainda que a União Europeia vai responder à letra se os EUA taxarem o vinho francês como represália pelas taxas europeias sobre o digital e acrescentou que a Amazónia, tema que também será discutido no G7, é outro sinal deprimente dos nossos tempos.

A enviada especial da Antena 1 a esta cimeira, Rosário Salgueiro, já testemunhou sinais da habitual contestação que rodeia as cimeiras do G7.

A informação mais vista

+ Em Foco

A RTP ouviu os seis lideres partidários sobre temas que escapam aos programas políticos e que contribuem para definir o perfil dos candidatos.

    Uma sondagem da Universidade Católica aponta para o fim da hegemonia laranja na Madeira, apesar da vitória do PSD nas regionais (38%) do próximo domingo.

    Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.