Egito prolonga estado de emergência por mais três meses

| Mundo

O Egito prolongou por mais três meses o estado de emergência, pode ler-se numa decisão do Presidente Abdel-Fattah el-Sisi publicada hoje na gazeta oficial daquele Estado.

A decisão do Presidente egípcio - uma redeclaração do estado de emergência - deverá entrar em vigor na sexta-feira, dia seguinte à publicação. A nova declaração deverá ser aprovada pelo parlamento no prazo de sete dias.

O Egito adotou o estado de emergência na sequência dos atentados bombistas contra igrejas e ataques contra cristãos coptas, que começaram em dezembro e resultaram em mais de 100 mortos e muitos outros feridos.

O estado de emergência do Egito já tinha sido prolongado uma vez.

Em julho, militantes do Estado Islâmico mataram 23 soldados num posto de controlo no deserto do Sinai, naquele que foi o pior ataque contra militares egípcios nos últimos dois anos.

Tópicos:

Abdel Fattah, Cairo, Islâmico,

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.