Estados Unidos advertem Caracas sobre medidas económicas fortes e rápidas

| Mundo

|

O Presidente norte-americano Donald Trump advertiu Caracas na segunda-feira de que os EUA vão avançar com ações económicas fortes e rápidas, caso o Governo do Presidente Nicolás Maduro imponha uma Assembleia Constituinte.

"Ontem (no domingo), o povo venezuelano deixou claro que defende a democracia, a liberdade e o estado de direito. No entanto, as suas ações fortes e corajosas continuam a ser ignoradas por um líder ruim que sonha em tornar-se um ditador", indica um comunicado da Casa Branca.

No documento, Donald Trump sublinha que "os EUA não vão ficar parados enquanto a Venezuela se desintegra".

"Se o regime de Maduro impuser a sua Assembleia Constituinte, a 30 de julho, os EUA tomarão ações económicas fortes e rápidas. Os EUA exigem mais uma vez eleições livres e justas e unem-se ao povo da Venezuela na busca de restaurar, para o seu país, uma democracia plena e próspera", conclui.

Um comunicado do Departamento de Estado dos EUA refere, por outro lado, que Washington aplaude "a coragem e determinação dos venezuelanos que exerceram os seus direitos de liberdade de expressão, associação e reunião pacífica, em defesa da sua democracia", no plebiscito de domingo contra Nicolás Maduro.

"O voto foi um grande repúdio à proposta da Assembleia Constituinte, que prejudicaria a Venezuela e as suas instituições democráticas. O voto de milhões de venezuelanos foi uma afirmação inequívoca do apoio a eleições livres e justas, assim como pelo respeito à Constituição existente", afirma.

O comunicado sublinha que os EUA "condenam a perda de vidas em Cátia, Caracas", na sequência de um ataque de homens armados contra pessoas que votavam e pedem "ao Governo venezuelano que leve os atacantes à justiça".

"Milhões de vozes venezuelanas não devem ser ignoradas. Os EUA pedem ao Governo da Venezuela que abandone a proposta de Assembleia Constituinte. Encorajamos os governos do hemisfério e de todo o mundo a pedir ao Presidente Maduro que suspenda este processo, que só busca minar a democracia na Venezuela", sublinha.

O documento conclui sublinhando, à semelhança de Donald Trump, que "os EUA estão preparados para tomar ações económicas fortes e rápidas se o Governo da Venezuela prosseguir com a ação da Assembleia Constituinte".

Tópicos:

Constituinte, Donald Trump,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os portugueses escolhem os seus representantes locais a 1 de outubro. Acompanhe aqui a campanha, os debates e toda a informação sobre as eleições Autárquicas.

    A deriva independentista do nacionalismo catalão está a revelar-se mais grave do que Madrid previa inicialmente. Temos posições que não permitem qualquer margem para diálogo e que conduziram o processo a um impasse.

    Um ensaio do LNEC e do Instituto Superior Técnico, no âmbito do KnowRisk, evidencia a importância da tomada de medidas preventivas. Veja os vídeos e compare os dois casos.

    A Alemanha aproxima-se da data do escrutínio de 24 de Setembro com uma economia próspera: muita exportação, muita construção, receitas fiscais abundantes, orçamentos públicos excedentários. O reverso da medalha é a degradação de condições sociais para uma parte significativa da população.