EUA. Supremo Tribunal autoriza restrições de asilo de imigrantes

por RTP
Migrantes na fronteira entre EUA e México Reuters

O Supremo Tribunal dos Estados Unidos da América autorizou, esta quarta-feira, a Administração de Donald Trump a negar asilo a imigrantes. Segundo as novas regras, as pessoas que chegam aos EUA através de outro país, devem solicitar asilo nesse mesmo país, antes de chegarem à fronteira dos Estados Unidos. Os principais afetados serão os cidadãos de países da América Central.

A partir desta quarta-feira, nos Estados Unidos da América, passa a ser legal negar asilo a imigrantes que tenham passado por outros países sem pedir o mesmo tipo de proteção. A medida foi proposta por Donald Trump em julho, mas só agora o Supremo Tribunal aprovou.

A decisão tomada pelo Tribunal é apenas temporária. Apesar de haver sete votos a favor e dois contra, ficou decidido que até haver uma sentença definitiva, a Admistração Trump pode negar os pedidos de asilo aos imigrantes.

Os principais afetados serão os cidadãos de países da América Central, que procuram fugir à pobreza e violência das cidades onde vivem. De acordo com a BBC, mais de 800 mil pessoas ficaram detidas na fronteira sudoeste dos EUA, desde janeiro a agosto deste ano. Destas, 590 mil eram de El Salvador, Guatemala e Honduras.

Estas novas medidas já tinham sido anunciadas por Trump em julho deste ano. Contudo, um juiz federal da Califórnia suspendeu-as em tribunal de primeira instância. Assim, impedido de legalizar a sua vontade, o presidente dos EUA viu-se obrigado a recorrer ao Supremo Tribunal.

Reduzir os níveis de imigração sempre foi um dos principais objetivos de Donald Trump. Desde as eleições que o atual presidente dos EUA deixou clara a sua opinião em relação àquilo que ele considera ser um abuso por parte dos imigrantes.
Tópicos