Explosão em fábrica na China deixa seis mortos e quatro feridos

por Lusa
Reuters

Pelo menos seis pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas, após uma explosão numa fábrica de produtos químicos na cidade chinesa de Xiantao, no centro do país, informou hoje a imprensa local.

A televisão estatal CGTN detalhou que a explosão aconteceu por volta das 17:30 (10:30, em Lisboa), de segunda-feira, nas instalações da Companhia de Químicos Bluesky, em Xiantao, que fica a cinquenta quilómetros de Wuhan - a cidade onde o novo coronavírus foi detetado inicialmente, em dezembro passado.

Imagens divulgadas pela imprensa chinesa mostram fumo denso proveniente de um edifício branco.

A CGTN garantiu que os serviços de emergência conseguiram conter o incêndio causado pela explosão e que várias equipas de resgate estão a procurar os desaparecidos, cujo número não especificou.

Segundo a imprensa local, a empresa, que suspendeu as operações após o acidente, começou a operar em 2015 e teria até cem funcionários.

A Bluesky produz e vende produtos de silicone, embora a imprensa chinesa também aponte que produz "produtos químicos perigosos".

Acidentes laborais são frequentes na China, com o país a registar cerca de 70 mil mortos por ano devido a desastres em fábricas, minas ou armazéns - 20% do total mundial de mortes no trabalho, segundo a Organização Internacional do Trabalho.

Em 2015, a explosão num armazém no porto de Tianjin, no norte do país, por causa da armazenagem ilegal de químicos, provocou 173 mortos.

Tópicos
pub