Fox afasta comentador que acusou britânicos de ajudarem Obama a espiar Trump

| Mundo

A Fox News afastou hoje o analista Andrew Napolitano, após rejeitar o comentário de que os serviços secretos britânicos ajudaram o antigo Presidente dos Estados Unidos Barack Obama a espiar o sucessor, Donald Trump.

Um executivo do canal de televisão, que pediu o anonimato, citado pela agência noticiosa Associated Press (AP), confirmou que Napolitano foi afastado e não vai voltar a aparecer no ar tão cedo, uma decisão inicialmente noticiada pelo jornal Los Angeles Times.

Na passada quinta-feira, a Casa Branca citou a Fox News para assegurar que Obama pediu aos serviços de informações britânicos que monitorizassem Donald Trump, para "garantir que não havia pistas norte-americanas".

Um dia depois, o Presidente dos Estados Unidos declarou que a Casa Branca não devia ser criticada por isso.

Na sexta-feira, durante uma conferência de imprensa conjunta com a chanceler alemã, Angela Merkel, Trump afirmou: "Não dissemos nada. Tudo o que fizemos foi citar um perito legal muito talentoso, que é o único responsável por ter dito isso na televisão".

Na segunda-feira, o diretor da polícia federal (FBI, na sigla em inglês), James Comey, afirmou que não foram encontradas provas que sustentem a acusação.

Tópicos:

Donald Trump, Trump,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 260 episódios, o projeto chegou às mais diversas áreas: saúde, engenharias, astronomia, tecnologia, química, história, filosofia, desporto ou geografia.

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.