Fundação Trump obrigada a encerrar

| Mundo

Esta é apenas uma das várias investigações judiciais a envolver atualmente o Presidente Trump
|

A Fundação Donald J. Trump será dissolvida, sob supervisão judicial, enquanto decorre um processo relacionado com a má utilização dos seus fundos. A procuradora-geral de Nova Iorque suspeita que o Presidente e os seus três filhos mais velhos utilizaram ilegalmente verbas da Fundação. Já o advogado da instituição acusa a procuradora de tentar tornar o caso político.

De acordo com a acusação entregue no Supremo Tribunal de Manhattan, a Fundação de Trump funcionava como “pouco mais do que um livro de cheques para servir os negócios e interesses políticos” do atual Presidente dos Estados Unidos.

O processo em curso contra a Fundação refere que tanto Donald Trump, como os filhos, Donald Junior, Ivanka e Eric, violaram leis de financiamento de campanha eleitoral e abusaram do estatuto de isenção fiscal. A dissolução põe termo a uma parte da ação civil contra a Fundação mas o caso contra Donald Trump e prole vai continuar.

“Continuaremos com o nosso processo para garantir que a Fundação Trump e os seus diretores sejam responsabilizados pelas violações claras e repetidas das leis estaduais e federais", afirmou a procuradora-geral em comunicado.

Barbara Underwood considera que houve "um padrão chocante de ilegalidade envolvendo a Fundação Trump - incluindo a coordenação ilegal com a campanha presidencial de Trump, auto-negociação repetida e voluntariosa, e muito mais".

"Esta é uma importante vitória para o estado de direito, deixando claro que há um conjunto de regras para todos”, refere ainda a procuradora.

O processo contra a Fundação Donald J. Trump visa recuperar 2,8 milhões de dólares, além de proibir o Presidente norte-americano e os três filhos mais velhos de ocupar posições de liderança em qualquer outra instituição de caridade de Nova Iorque.

O acordo de dissolução, assinado tanto pelo advogado da Fundação, Alan Futerfas, como pela procuradora-geral, Barbara Underwood, ainda tem de ser aprovado por um juiz do Estado de Nova Iorque.

Nos termos do acordo, a procuradora vai poder analisar os destinatários dos ativos da instituição, bem como supervisionar a distribuição das verbas que restam a "organizações confiáveis aprovadas” pelo gabinete da procuradora.

A mais recente declaração de impostos da Fundação refere que a instituição tem ativos líquidos superiores a 1,7 milhões de dólares.
O que diz a defesa de Trump
O advogado da Fundação Trump afimou que o processo só veio atrasar o plano de dissolver a instituição sem fins lucrativos, que estava prevista desde que Donald Trump venceu as eleições presidenciais em 2016.

Em comunicado, Alan Futerfas refere que a Fundação distribuiu 19 milhões de dólares, incluindo mais de oito milhões de dólares do próprio Trump, por 700 organizações de caridade.

O advogado considera que o comunicado da procuradora, que classifica de "inexato”, constitui “mais uma tentativa de politizar este assunto”.

Em junho, o Presidente dos Estados Unidos dizia na rede social Twitter que não tinha feito nada de mal.

A dissolução da Fundação não foi objeto de comentário nem por Donald Trump nem pelos filhos.

Tópicos:

Barbara Underwood, Estados Unidos, Financiamento Ilegal, Tribunal,

A informação mais vista

+ Em Foco

Francisco Veloso, reitor da Imperial College Business School, traça os cenários possíveis após a rejeição do acordo.

O presidente da Câmara dos Comuns é, digamos assim, o equivalente ao presidente da Assembleia da República em Portugal.

Neste Manual do Brexit, explicamos em 12 pontos o que está em causa e os cenários que se colocam.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.