Governo timorense aprova recrutamento de mais 600 efetivos para as forças defesa

por Lusa

O Governo timorense aprovou hoje o recrutamento de 600 novos praças para as Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL) em 2020, que se juntam aos cerca de 2.150 que já integram os vários setores das forças timorenses.

A proposta de recrutamento, apresenta pelo ministro da Defesa, Filomeno Paixão, foi hoje aprovada em Conselho de Ministros, tendo já sido inscrita anteriormente na proposta de lei do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2020.

Falur Rate Laek, chefe de Estado maior das F-FDTL, disse à Lusa que atualmente as forças de defesa timorenses têm cerca de 2.160 efetivos, entre os quais mais de 400 mulheres, divididos pelos vários componentes, com destaque para o terrestre e naval.

A proposta de lei do OGE, atualmente em debate nas comissões do parlamento nacional, prevê um gasto de 936 mil dólares na recruta dos 600 novos efetivos das F-FDTL.

Globalmente, o orçamento do Ministério da Defesa, incluindo as F-FDTL é de 41,66 milhões de dólares (37,44 milhões de euros), mais dez milhões que este ano, com salários e vencimentos a representarem quase 11 milhões de dólares (9,89 milhões de euros) e bens e serviços a chegar quase aos 28 milhões de dólares (25,17 milhões de euros).

Desse total, as FDTL têm orçamentados 24,16 milhões de dólares (21,72 milhões de euros) em 2020.

A recruta e incorporação dos novos praças é uma das principais medidas para o setor da defesa em 2020, segundo os livros que acompanham a proposta de OGE.

Entre outras medidas prioritárias para 2020, o OGE destaca a promoção de melhorias da saúde geral nos efetivos das F-FDTL e a participação em "exercícios combinados no âmbito da cooperação técnico-militar e organizações internacionais".

A previsão é de que a recruta decorra no primeiro trimestre de 2020.

 

Tópicos