Lu-Olo mantém liderança com 59,79%, quando estão contados 69,40% dos boletins

| Mundo

Francisco Guterres Lu-Olo, candidato apoiado pelos dois maiores partidos timorenses, Fretilin e CNRT, lidera a contagem dos votos nas eleições presidenciais timorenses, com 59,79%, quando estão escrutinados 69,4% dos votos, segundo dados oficiais.

A percentagem de liderança de Lu-Olo mantém-se em torno aos 60% há várias horas, o que indicia que o candidato apoiado pelos dois maiores partidos deverá ser o próximo Presidente da República timorense.

Às 07:00 locais de terça-feira (22:00 de segunda-feira em Lisboa), dezasseis horas depois de as urnas terem encerrado, o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) tinha escrutinado informação de 483 dos 696 centros de votação, com a contagem terminada em vários municípios.

Informação confirmada pela agência Lusa no STAE mostra que até às 22:00 tinham sido contabilizados 379.107 votos (de um universo de 743.150 eleitores) dos quais 355.571 são considerados válidos.

Para vencer à primeira volta, Lu-Olo terá que obter mais de 50% dos votos válidos.

À hora citada, Lu-Olo tinha obtido 212.509 votos (59,79%) contra os 107.372 de António da Conceição (30,2%).

Em terceiro de entre os oito candidatos, mas a muita distância dos dois primeiros, surge José Luis Guterres, com 9.952 votos e 2,8%, à frente de Luis Tilman, com 7.075 votos e 1,99%.

José Neves tinha contabilizados 6.998 votos, ou 1,97%, Antonio Maher Lopes 6.263 votos, ou 1,76%, Amorim Vieira registava 2.819 votos, ou 0,79% e, em último, Ângela Freitas obtinha 2.493 votos, ou 0,70%.

A legislação timorense prevê que a contagem dos votos possa demorar até 48 horas depois do fecho das urnas, sendo que, em alguns locais, a votação se prolongou além da hora prevista devido à grande afluência.

Tópicos:

Díli, Luis Guterres, Luis Tilman, Timor,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.