Macron cede aos coletes amarelos mas não convence

| Mundo
Macron cede aos coletes amarelos mas não convence

Foto de Epa/Yoan Valat

Em resposta aos protestos dos coletes amarelos o presidente francês declarou o estado de emergência económica e social.

Emmanuel Macron falou ao país ao início da noite de segunda-feira para admitir que ainda não foi possível dar resposta a todas as reivindicações, e anunciar entre outras medidas um aumento do salário mínimo.

Entre as medidas que envolvem melhor retribuição do trabalho, Emmanuel Macron anunciou a redução de impostos.

Palavras que para já não sossegam o protesto.


A Antena 1 ouviu ao telefone Emelyne Gobillot, uma ativista do movimento colete amarelo da região de Sens, na Borgonha, que depois de ouvir a intervenção do presidente Macron, decidiu com um grupo de outros ativistas retomar o protesto com um bloqueio de camiões.



Os protestos continuam esta terça-feira estão convocadas manifestações em Saint Michel, protestos convocados para o meio-dia na região de Paris onde começaram as manifestações do maio de 68.

Também esta terça-feira, a oposição de esquerda decide se avança ou não com uma moção de censura.

Já depois da declaração de Emmanuel Macron o líder socialista na Assembleia Nacional disse que a decisão vai ser tomada esta terça-feira.

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à Antena 1, o presidente do PS elogia a chamada "geringonça", mas coloca reservas quanto à hipótese de ter BE e PCP num futuro executivo socialista.

    As famílias já pediram o repatriamento, mas o MNE diz que ainda não tem uma solução.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.