Maioria presidencial francesa lança plataforma eleitoral de apoio a Macron

por Lusa

A maioria presidencial francesa lançou hoje uma plataforma eleitoral conjunta de apoio ao atual chefe de Estado de França, Emmanuel Macron, para as eleições de abril de 2022, a que deverá concorrer para renovar o mandato.

O movimento `Ensemble citoyens!` integra `A República em Marcha` (LREM, na sigla em francês), partido que levou Macron ao Palácio do Eliseu em maio de 2017, o `MoDem, Agir, Horizons, Territoires de Progrès` e o `En Commun`. 

"A casa comum que lançamos tem grande força e bases sólidas. Podemo-nos orgulhar. Juntos, conquistamos a credibilidade para torná-la possível", disse o primeiro-ministro francês, Jean Castex, na cerimónia do lançamento da plataforma.

A iniciativa, acrescentou, integra diferentes formações políticas e pessoas "de diferentes horizontes que aspiram servir o seu país unindo forças".

"Não há ninguém com mais experiência do que Macron para proteger os franceses e reforçar a França", acrescentou,

O evento teve lugar na Maison de la Mutualité, em Paris, o mesmo local onde Macron realizou o primeiro comício à frente do movimento `En marche!`, em julho de 2016, quando o então ministro da Economia ainda não tinha anunciado ser candidato às presidenciais de 2017.

"Decidimos dar um passo decisivo em conjunto para apoiar Macron", disse, por seu lado, o presidente do partido centrista MoDem, François Bayrou, para quem a nova plataforma trabalhará em conjunto para oferecer à França "o ímpeto e o equilíbrio necessários para garantir o futuro". 

Os partidos que o compõem têm em vista as eleições presidenciais de abril e as legislativas de junho de 2022. 

Embora cada formação mantenha a sua identidade, o ex-primeiro-ministro Édouard Philippe não descarta a possibilidade de haver mais alianças.

"Se alguns querem ir mais longe, tanto melhor: talvez o LREM e o MoDem queiram se aproximar e não parece aberrante que Agir e Horizons façam o mesmo", afirmou em declarações ao jornal Le Dauphiné Libéré.

Os partidos e personalidades presentes na plataforma manifestaram o "apoio incondicional" a Macron, sem assumir abertamente se o chefe de Estado irá apresentar-se a um segundo mandato.

"Este não é o momento", disse Bayrou, que sublinhou que, nas presidenciais, se vota numa pessoa e não num rótulo".

"Ninguém tem tanta força quanto o atual presidente", acentuou. 

Uma sondagem do Instituto Demográfico Ifop, divulgada hoje, coloca Macron na liderança: 37% dos franceses acreditam que é o mais qualificado para "enfrentar o declínio da França", contra os 34% do conservador Xavier Bertrand e os 33% de Marine Le Pen, da extrema-direita.

Tópicos
pub