Mais de 50 soldados afegãos e 10 talibãs mortos em ataque a quartel no Afeganistão

| Mundo

Mais de 50 soldados afegãos e dez talibãs morreram e cerca de 70 militares ficaram feridos hoje num ataque rebelde contra a base do Exército afegão, no norte do Afeganistão.

"O número de [soldados] mortos superou os 50 e o de feridos é agora de 73", disse à agência espanhola Efe um comandante do Exército afegão, sob anonimato, e que referiu que o número de rebeldes mortos ascende a dez.

Um membro do conselho da província de Balkh, onde ocorreu o ataque, disse que pelo menos "66 membros do Exército morreram e 73 ficaram feridos".

O Ministério da Defesa afegão não revelou números sobre o total de vítimas, remetendo essa informação para o final das investigações.

O ataque, que se prolongou durante seis horas, começou pouco depois do meio-dia, quando os soldados saíam da mesquita, após as orações de sexta-feira, no quartel situado no distrito de Dehdadi, explicou um porta-voz do ministério afegão.

Um representante das forças especiais do Exército afegão revelou que a situação "está controlada", com todos os atacantes mortos, alguns dos quais por imolação.

Os rebeldes estavam vestidos com uniformes militares e conseguiram infiltrar-se no quartel no interior de vários veículos do exército.

Os talibãs reivindicaram o ataque através de um comunicado enviado à Efe, afirmando terem matado "mais de uma centena de soldados".

A província de Balkh é uma das mais seguras no Afeganistão.

A violência aumentou neste país asiático desde o final da missão da NATO, a 01 de janeiro de 2015, devido a um avanço dos rebeldes, que reduziram o terreno controlado pelo Governo a 57% do total, de acordo com dados dos Estados Unidos.

Tópicos:

Exército, NATO,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à Antena 1, o Presidente da República diz que o crescimento da economia é o que mais o preocupa agora.

A RTP agrupa as sondagens disponíveis e traça as tendências do eleitorado para a derradeira votação da eleição presidencial francesa.

    Francisco será o quarto papa a visitar Fátima, a 12 e 13 de maio. Um visita marcada também pela canonização dos pastorinhos Jacinta e Francisco, no centenário das "aparições" na Cova da Iria.

      A Associação Adeptos dos Sonhos canalizava 90% do dinheiro recolhido em ações de caridade para uma empresa do namorado da presidente.