Marinha tailandesa mostra novas imagens do resgate

| Mundo

É uma operação que “o mundo não vai esquecer”, lê-se no novo vídeo da Marinha tailandesa
|

É uma operação que “o mundo não vai esquecer”. A descrição é deixada na própria página de Facebook da Marinha tailandesa, que publicou esta quarta-feira imagens inéditas do resgate dos 12 rapazes e treinador da gruta de Tham Luang, em Chiang Mai, que decorreu nos últimos três dias. As imagens foram recolhidas através de câmaras colocadas nos fatos dos mergulhadores.

Um dia depois dos últimos resgates na gruta tailandesa, a Marinha divulgou novas imagens, recolhidas pelos próprios mergulhadores aquando das operações.



O vídeo, com cerca de sete minutos, mostra as condições de enorme adversidade em que decorreu toda a operação e reúne várias imagens recolhidas junto dos mergulhadores.

As crianças foram transportadas em macas à saída da gruta.

Em tailandês, a Marinha diz que “não vai esquecer os 18 dias em que o mundo se uniu em torno daquela gruta” para retirar os rapazes encurralados.

“Vamos recordar para sempre o sacrifício, a coragem e o espírito de equipa”, refere ainda a publicação.  

A operação para retirar as crianças tailandesas começou no domingo e terminou na terça-feira.  

Os 12 rapazes, jogadores numa equipa de futebol, e o respetivo treinador, de 25 anos, foram resgatados em segurança e continuam a receber cuidados médicos, após terem estado duas semanas na gruta de Tham Luang. O grupo só foi encontrado ao fim de nove dias de buscas no interior da gruta.  

Apesar do desfecho feliz desta operação, a Marinha tailandesa tem a lamentar a morte de um antigo mergulhador e membro das forças especiais, que participou nas operações de resgate.
 
Saman Kunan tinha 38 anos e morreu após ter transportado garrafas de oxigénio para a câmara no interior da gruta onde se encontravam as crianças e o treinador.  


Tópicos:

Crianças, Equipa, Gruta, Jovens, Tailândia, Treinador, Marinha,

A informação mais vista

+ Em Foco

O economista guineense Carlos Lopes considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

    Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.