Migração moçambicana repatriou 3.072 estrangeiros de janeiro a setembro

| Mundo

O Serviço Nacional de Migração (SENAMI) anunciou hoje que repatriou 3.072 estrangeiros de janeiro a setembro, mais 35% do que o número registado em igual período do ano passado.

Em conferência de imprensa, a porta-voz do SENAMI, Cira Fernandes, disse que os repatriamentos foram motivados por imigração clandestina, permanência ilegal no território nacional e perda de Documento de Identificação e Residência de Estrangeiro (DIRE).

A Tanzânia, com 2.061, foi o país com mais cidadãos repatriados de Moçambique, seguida do Malaui, 302, e da Etiópia, 199.

Do total de estrangeiros repatriados entre janeiro e setembro, a província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, foi a que mais cidadãos repatriou (67%), seguida de Tete, centro (13%), e Nampula, norte (8%).

A porta-voz do SENAMI afirmou que o aumento de estrangeiros repatriados deve-se à intensificação das ações de fiscalização, tendo sido registadas 1.829 este ano contra 762 entre janeiro e setembro do ano passado.

Tópicos:

Identificação, Nampula, Tanzânia, Tete,

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.