Milhares de manifestantes em Londres pedem segundo referendo

| Mundo

Milhares de pessoas estão a manifestar-se hoje no centro de Londres pedindo um segundo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), dois anos depois da primeira consulta na qual os britânicos aprovaram o `brexit`.

Os manifestantes desfilam até à praça do Parlamento com bandeiras da UE e cartazes onde se pode ler "Ainda não saímos" ou "Queremos ter a palavra sobre o `brexit`".

O objetivo é pedir ao governo e a todos os partidos políticos que permitam que os britânicos votem sobre se aceitam ou não o acordo sobre o `brexit` que a primeira-ministra Theresa May fizer com o bloco comunitário.

O Reino Unido está na fase final das negociações com Bruxelas sobre a saída britânica.

A manifestação foi organizada pelo movimento The People`s Vote (O voto do povo) e conta com o apoio de figuras destacadas, entre as quais o líder do Partido Liberal Democrata (a terceira formação do país), Vince Cable.

Aquele movimento argumenta que a opinião pública está a voltar-se contra o `brexit` à medida que os seus custos económicos se tornam mais claros.

Segundo a agência noticiosa norte-americana Associated Press (AP), o `brexit` tem já um claro efeito na economia britânica, as famílias estão mais pobres, as empresas mais cautelosas e o mercado imobiliário arrefeceu.

No referendo há dois anos o `brexit` foi aprovado por 53,4% dos britânicos contra 46,6%.

O Reino Unido deverá abandonar a União a 29 de março de 2019, mas Londres e Bruxelas ainda não chegaram a acordo sobre a sua futura relação comercial ou sobre a fronteira entre as duas Irlandas.

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, Boris Johnson, insistiu hoje numa saída "completa" da União Europeia (UE), num artigo publicado no jornal "The Sun".

Johnson sinalizou que a população não irá tolerar uma retirada "suave" do bloco europeu -- defendida por algumas camadas políticas - pois tal passaria uma imagem indefinida.

O chefe da diplomacia, que votou a favor do `brexit` no referendo de há dois anos, disse que os britânicos querem que o Governo "cumpra o mandato público" com uma saída total da UE.

PAL (ICO) // JPF

Tópicos:

Associated Press AP, People,

A informação mais vista

+ Em Foco

O economista guineense Carlos Lopes considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

    Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.