Nova Zelândia aprova retirada das condenações de homossexuais anteriores a 1986

| Mundo

O Parlamento da Nova Zelândia aprovou uma lei que retira do registo criminal as condenações por homossexualidade, anteriores à sua descriminalização, em 1986, foi hoje noticiado.

"Gostaria de pedir desculpas novamente a todos os homens e membros da comunidade homossexual que foram prejudicados pelos danos, estigma e outros efeitos negativos das condenações por crimes homossexuais", afirmou o ministro da Justiça neozelandês, Andrew Little.

"Esta lei envia uma mensagem clara de que a discriminação contra os homossexuais não é mais aceitável e que estamos comprometidos em corrigir os erros do passado", acrescentou.

Apesar da homossexualidade ter sido descriminalizada na Nova Zelândia em 1986, as condenações das pessoas ainda constavam nos seus registos criminais.

A nova lei foi votada por unanimidade na terça-feira à noite.

De acordo com as estimativas daquele Ministério, existem cerca de mil pessoas que podem agora exercer o direito de retirar estas antigas condenações, quando o processo entrar em vigor no próximo ano.

Depois de descriminalizar a homossexualidade em 1986, a Nova Zelândia proibiu a discriminação contra homossexuais em 1993 e legalizou o casamento 'gay' em 2013.

Tópicos:

Zelândia,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.

      Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.

        Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.