Novo surto de Ébola na RDCongo com 22 casos confirmados

| Mundo

O novo surto de Ébola no noroeste da República Democrática do Congo (RDC) soma já 22 casos confirmados, segundo os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde do país.

A informação, que resume a situação do Ébola nas províncias de Kivu Norte e Ituri, está atualizada até 10 de agosto e indica 27 mortes por suspeita de Ébola, embora ainda não estejam confirmadas laboratorialmente.

No total, há 22 casos confirmados de contágio, 27 prováveis e outros 53 estão a ser investigados.

Este surto foi declarado a 01 de agosto, oito dias depois de o ministro da saúde, Oly Ilinga, proclamar o fim de outro na província de Equador, no noroeste do país.

As autoridades confirmaram que esta nova epidemia é da estirpe Zaire -- a mais mortal -- e que, por enquanto, não tem relação com a anterior.

O Ministério da Saúde da RDC começou na quarta-feira uma campanha de vacinação em Kivu Norte, a região mais afetada, com um tratamento experimental.

Este sábado, o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesu, visitou a zona para avaliar a situação.

"Visitei Beni e Malinga, recentes epicentros do surto de Ébola na RDC. O conflito ativo na área é uma barreira para controlar o Ébola. Peço a todos os atores envolvidos que permitam o acesso seguro de todos os trabalhadores que dão assistência às populações afetadas e salvam vidas. O Ébola é um perigo para todos", escreveu o diretor-geral da OMS na sua conta de Twitter, após a visita.

A doença transmite-se por contacto direto com o sangue e fluidos corporais de pessoas ou animais infetados, causa hemorragias graves e alcança uma taxa de mortalidade de 90%.

RCP // MP

 

Tópicos:

Democrática, Kivu, RDCongo,

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

    É um desejo antigo do Homem poder tocar as estrelas. Um feito que parece ser agora "quase" alcançável através da missão espacial solar Parker.

      Entre as 21h00 de domingo e as 8h00 de segunda-feira, o mundo viu uma chuva de Perseidas, espetáculo habitual em agosto. Nos locais mais remotos, foi possível admirar melhor o fenómeno.

        Uma semana depois de as chamas deflagrarem em Monchique, a Proteção Civil deu o incêndio como dominado e em fase de resolução. Portugal volta a ser o país com mais área ardida na Europa.