Pandemia em tribunal. O caso da estância de ski de Ischgl

por RTP
DR

Começa hoje o primeiro caso civil num tribunal austríaco relacionado com o surto de coronavírus na popular estância de ski de Ischgl. As autoridades locais estão a ser acusadas de negligência porque responderam mal e lentamente ao surto que acabou por infetar milhares de pessoas.

É o primeiro de 15 processos em tribunal onde as autoridades são acusadas de não terem dado uma resposta atempada ao surto de Covid-19 nesta estância de ski e noutras no estado federado de Tirol, na Áustria.

Neste caso, o processo avançou em nome de uma família de um homem de 72 anos que morreu depois de ter contraído o vírus em Ischgl. Exigem uma indemnização de 100 mil euros.

O advogado da família aponta várias falhas às autoridades que levaram a que Ischgl e a área circundante se tornasse num ponto de contaminação do vírus.

A acusação está em parte sustentada num relatório realizado por uma comissão independente de peritos que diz que os responsáveis locais reagiram tarde e com várias falhas depois de terem sido alertados pela Islândia de que vários cidadãos do país tinham testado positivo ao vírus no regresso a casa da estância de Ski.

Diz o advogado que a primeira reação perante esta informação demorou pelo menos dois dias. A acusação aponta ainda o facto de que, na mesma altura, não houve qualquer ação para impedir que mais turistas fossem autorizados a entrar no vale. Alega ainda que o próprio governo regional questionou a veracidade da informação de que os turistas da Islândia tinham sido infetados em Ischgl.

A acusação vai tão longe ao ponto de atribuir responsabilidades ao próprio chanceler austríaco Sebastian Kurz.

Ainda de acordo com a acusação, quando a zona foi mais tarde colocada sob quarentena, a evacuação foi caótica e mal organizada.

A viúva do homem deste primeiro caso alega que o marido morreu porque apanhou o vírus durante a evacuação num autocarro, cheio de turistas que estiveram a espirrar e a tossir durante várias horas.

Nesta altura há dezenas de casos que vão correr em tribunal, com mais de 30 pessoas que exigem compensações financeiras ao governo austríaco.

Cerca de seis mil pessoas terão contraído o vírus em Ischgl e nas zonas circundantes. Dessas, cinco por cento desenvolveram sintomas prolongados relacionados com o vírus.

E 32 pessoas morreram.
Tópicos
pub