Parlamento finlandês debate adesão à NATO

por Antena 1

Twitter/DR

O Parlamento finlandês debate esta quarta-feira a adesão à Organização do Tratado do Atlântico Norte. A primeira-ministra finlandesa quer que o processo avance o mais depressa possível, ou seja, nas próximas semanas.

Apesar das ameaças russas os finlandeses mostram-se preparados para aderir à Aliança Atlântica e sem receios.

Divididos sobre o assunto por muito tempo, até à invasão da Ucrânia, os 200 membros do Eduskunta, o Parlamento de quase 100 anos do país, estão a caminhar para uma clara maioria a favor da adesão, sendo esta a votação considerada como mais provável.

De acordo com os cálculos dos media finlandeses, 100 membros já decidiram votar pela adesão, quando apenas 12 são contra. Os demais aguardam os debates para mostrar a sua posição.

Sem expressar uma recomendação formal, um novo "livro branco" apresentado na semana passada pelo Governo aos parlamentares sublinhou que só a adesão à NATO permitirá ao país beneficiar do guarda-chuva do seu famoso artigo 5º da defesa coletiva.

Mesmo que tenha rompido com sua estrita neutralidade no final da Guerra Fria e quando ingressou na União Europeia, em 1995, a Finlândia é hoje apenas um parceiro da NATO.

Para o país nórdico, que tem uma fronteira de 1.300 quilómetros com a Rússia, aderir à aliança com 30 membros permitiria uma dissuasão "significativamente maior" contra um eventual ataque da Rússia, segundo o livro branco.
pub