Pelo menos 24 mortos e 49 feridos em explosão no norte do México

| Mundo

Pelo menos 24 pessoas morreram e 49 ficaram feridas, incluindo bombeiros e polícias, em explosões ocorridas na quinta-feira em oficinas de pirotecnia, em Tultepec, no norte do México, segundo um novo balanço das autoridades.

"Temos 24 mortos, 17 no local e sete nos hospitais", indicou, em comunicado, o Ministério Público local, acrescentando que 49 feridos foram transportados para diferentes centros hospitalares.

Entre os mortos contam-se quatro bombeiros e cinco polícias, anunciou a ministra da Segurança Pública do Estado, Maribel Cervantes.

Um balanço anterior, divulgado pelas autoridades locais, referia 17 mortos e 31 feridos.

O Presidente mexicano cessante, Enrique Pena Nieto, apresentou as condolências às famílias das vítimas, através da rede de mensagens Twitter, e o ministro do Interior mexicano, Alejandro Ozuna, afirmou que as licenças das oficinas iam ser alvo de um "controlo exaustivo".

Tultepec, conhecida pelas oficinas de pirotecnia e pelo maior mercado de fogo de artíficio do país, já registou vários acidentes semelhantes.

Em dezembro de 2016, mais de 42 pessoas morreram e 70 ficaram feridas num acidente idêntico na localidade, situada a cerca de 30 quilómetros a norte da Cidade do México.

Mais recentemente, a 6 de junho, uma explosão, também ocorrida em Tultepec, matou sete pessoas e feriu oito.

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.