Pelo menos cinco mortos em inundações nos subúrbios da capital grega

| Mundo

|

Pelo menos cinco pessoas morreram hoje em inundações nos subúrbios a oeste de Atenas, depois de chuvas torrenciais durante a noite terem provocado enxurradas de lama e detritos que inundaram estradas, casas e empresas.

Os bombeiros locais dizem que há ainda quatro pessoas desaparecidas, que estão a ser procuradas pelas equipas no terreno.

Todas as cinco mortes (duas mulheres e três homens) ocorreram na zona de Mandra em incidentes separados.

Segundo os bombeiros, uma mulher e um homem foram encontrados mortos nas suas casas inundadas, enquanto os corpos de dois homens foram encontrados em quintais de negócios e o de uma mulher perto de uma estrada.

Os serviços de bombeiros receberam 340 pedidos de ajuda para bombar água de edifícios inundados e resgatar pessoas presas pela subida das águas.

As autoridades locais fecharam escolas nas zonas de Mandra, Nea Peramos e Megara, tendo sido cortado o acesso em partes da autoestrada Atenas-Corinto.

A catástrofe surge um dia depois de a ilha de Simi, no arquipélago de Dodecaneso, ter declarado o estado de emergência por causa de graves inundações que provocaram numerosos estragos, mas não causaram vítimas.

As previsões meteorológicas apontam para a continuação do mau tempo em várias regiões da Grécia nos próximos dias.

Tópicos:

Mandra Nea Peramos,

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.