PM australiano considera que guerra entre China e EUA não é mais inconcebível

por Lusa
Carlo Allegri - Reuters

O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, reconheceu que um conflito armado entre China e Estados Unidos não é mais "inconcebível" e apontou que a política de Defesa de Camberra passou a ter essa possibilidade em conta.

"Na nossa própria atualização da política de Defesa reconhecemos que o que antes era inconcebível e nem considerado possível ou provável em termos desse tipo de resultado não é mais visto assim", disse Morrison, durante o Fórum de Segurança Aspen, que foi realizado via 'online'.

Ainda assim, o primeiro-ministro australiano ressalvou que o seu Governo tem uma visão menos dramática das tensões estratégicas entre China e Estados Unidos, comparativamente ao antecessor, que alertou para a possibilidade de uma guerra.

Kevin Rudd, ex-primeiro ministro da Austrália e especialista em assuntos da China, escreveu na revista Foreign Affairs desta semana que o risco de conflito armado entre os Estados Unidos e a China, nos próximos três meses, é "especialmente alto".

Morrison sublinhou ainda que o seu Governo, numa atualização da política de Defesa, no mês passado, anunciou 270 mil milhões de dólares australianos (160 mil milhões de euros) em novos gastos em capacidade de combate, incluindo mísseis de longo alcance.

"A nossa atualização da Defesa expressa isso de maneira diferente e certamente não tão dramática como a posição de Kevin", disse Morrison.

Morrison discordou que os Estados Unidos estejam numa nova Guerra Fria com a China, apontando que "as circunstâncias são bem diferentes".

O primeiro-ministro australiano disse não ter respostas sobre a melhor forma como lidar com a pressão da China no Mar do Sul da China, na fronteira com a Índia e em Hong Kong.

"Sou otimista, os australianos são fortemente otimistas sobre estas coisas", disse Morrison.

"Temos que ter uma atitude otimista, mas não uma atitude ingénua ou irrealista. Temos que nos focar nos objetivos, e isso não é a supressão ou a contenção de nenhum Estado, é o equilíbrio produtivo e estratégico que pode ser alcançado", acrescentou.

A Austrália e os Estados Unidos compartilham um tratado bilateral de segurança e uma aliança com a Índia e o Japão por meio do Diálogo Quadrilateral de Segurança, que a China vê com desconfiança.

As relações da Austrália com a China, o maior parceiro comercial de Camberra, deterioraram-se, em parte, devido aos apelos australianos por uma investigação independente sobre a origem do novo coronavírus.

Tópicos
pub