Polícia faz buscas em casa nos subúrbios de Londres

| Mundo

A polícia está a efetuar buscas numa residência em Stanwell, subúrbio de Londres, na sequência da detenção de um segundo suspeito do ataque de sexta-feira ao metro da capital britânica, revelaram hoje autoridades locais.

O homem de 21 anos foi detido na noite de sábado, noutro subúrbio de Londres, a poucos quilómetros do aeroporto internacional de Heathrow, ao abrigo da Lei do Terrorismo (Terrorism Act).

Sobre ele recai a suspeita de estar envolvido no rebentamento, à hora de ponta, de um engenho explosivo de fabrico artesanal na estação de metro de Parsons Green, que provocou 29 feridos.

Poucas horas antes, a polícia britânica tinha detido um homem de 18 no porto de Dover, na zona das partidas do `ferry` para França, também ele suspeito de envolvimento no atentado no metro.

As duas detenções indicam, segundo avançam fontes citadas pela imprensa em Londres, que o rebentamento fazia parte de um pano mais alargado, não se tratando de um ato isolado de terrorismo.

O nível de ameaça terrorista na Grã-Bretanha permanece no nível mais alto (`Critical`), o que significa que as autoridades acreditam que outro ataque pode estar iminente.

A informação mais vista

+ Em Foco

O economista guineense Carlos Lopes considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

    Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.