Portugal é "um grande país, sempre à altura das circunstâncias" - Marcelo

| Mundo

O Presidente da República fez hoje no México um discurso de exaltação nacional, afirmando que Portugal está a crescer e unido nos grandes objetivos, e é um grande país, que esteve sempre à altura das circunstâncias.

"Eu de vez em quando ouço dizer, quando aqui e ali há uma realidade que corre um bocadinho menos bem, que o país não esteve à altura das circunstâncias. Não é verdade. O país esteve sempre à altura das circunstâncias. Pode um ou outro, de vez em quando, não estar à altura das circunstâncias - acontece-nos a todos nós na vida -, mas o país como um todo esteve sempre à altura das circunstâncias", defendeu.

Marcelo Rebelo de Sousa falava na Cidade do México, durante uma receção à comunidade portuguesa, em que começou por pedir um minuto de silêncio pelas vítimas do incêndio na região centro, assinalando a "passagem de um mês sobre o início da tragédia".

Depois do pesar, no entanto, o Presidente da República fez um discurso em tom positivo, declarando: "Vamos então falar das nossas alegrias, porque temos alegrias. E a primeira alegria é aquela que nos é dada pelos nossos compatriotas que vivem aqui nesta potência".

A propósito das relações económicas bilaterais com o México, Marcelo Rebelo de Sousa descreveu Portugal como um país que "cresce lá dentro, cresce cá fora, cresce em investimentos, em exportações para o estrangeiro", e está unido nos grandes objetivos.

O Presidente da República referiu-se à comitiva que o acompanha nesta visita de Estado ao México, que inclui o ministro da Economia, a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação e deputados do PSD, do PS, do CDS-PP e do PCP.

"É uma delegação que tem três órgãos de soberania, tem o Governo, tem o parlamento, tem o Presidente da República. E mostra uma realidade muito simples: quando se trata de grandes objetivos muito simples, não há políticas diferentes. Não há a política do partido A, B, C ou D, ou do parlamento, ou a política do Governo, ou a política do Presidente. O objetivo é o mesmo: é afirmar Portugal no mundo", considerou.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, "por isso aqui estão representantes dos diversos partidos na Assembleia da República e dois membros do Governo e aqui está o Presidente da República".

"Estamos unidos nesta visita de Estado. Estamos unidos nos contactos já realizados e no que falta realizar, estamos unidos no encontro com a nossa comunidade, com os nossos compatriotas", acrescentou.

No final da intervenção, dirigindo-se aos representantes da comunidade portuguesa, o Presidente da República afirmou: "Nós somos um grande país. Não sei se têm noção disso".

"Se não têm, é bom todos os dias olharem-se ao espelho e dizerem: Eu sou português, eu sou muito bom. Isso faz muito bem. Bom, não fiquem irritantemente otimistas, isso também é de mais, fiquem realisticamente otimistas. Mas fiquem otimistas, porque merecem, e nós merecemos", pediu-lhes.

Marcelo Rebelo de Sousa repetiu a mensagem: "Nós, portugueses, somos muito bons".

"Não quer dizer que seja tudo bom, e tudo fácil. E que não tenhamos problemas, e não tenhamos crises, e que não tenhamos de vez em quando realidades que são menos boas. Mas, no geral, nós temos uma capacidade notável para sermos o que temos sido ao longo da nossa história: capazes de um heroísmo nos momentos cruciais e, nesse sentido, estarmos à altura das circunstâncias", sustentou.

Tópicos:

México,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 260 episódios, o projeto chegou às mais diversas áreas: saúde, engenharias, astronomia, tecnologia, química, história, filosofia, desporto ou geografia.

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.