PR angolano transmite "tristeza e consternação" a Portugal

| Mundo

O Presidente de Angola expressou hoje a sua "tristeza e consternação" pela tragédia ocorrida em Portugal, com a morte de mais de 60 pessoas, vítimas do incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande.

Na mensagem que José Eduardo dos Santos endereçou ao seu homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa, hoje divulgada, o chefe de Estado angolano estendeu os seus sentimentos de pesar ao povo e às famílias enlutadas.

O fogo deflagrou ao início da tarde de sábado, numa área florestal em Escalos Fundeiros, Pedrógão Grande, e alastrou aos municípios vizinhos de Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, obrigando a evacuar povoações ou deixando-as isoladas.

O balanço mais recente deste incêndio dá conta de 62 mortos e 62 feridos, entre os quais dois em estado grave.

Tópicos:

Castanheira Pera Figueiró, Escalos Fundeiros Pedrógão, Pedrogão,

A informação mais vista

+ Em Foco

É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.

Constança Urbano de Sousa garante que enquanto tiver confiança do primeiro-ministro não vai sair do Executivo.

Jorge Paiva, botânico e professor, um dos maiores peritos da floresta, critica em entrevista à Antena 1 o desinteresse generalizado dos políticos pelos problemas da floresta.