Presidente norte-americano pede revogação de Obamacare sem plano de saúde substituto

| Mundo

|

O Presidente dos Estados Unidos pediu na segunda-feira aos republicanos para que "simplesmente revoguem" o Obamacare sem aprovar um plano de saúde substituto, após o bloqueio nas bancadas conservadoras, incapazes de concordar numa proposta alternativa.

"Os republicanos deveriam simplesmente revogar o Obamacare e trabalhar a partir do zero num novo plano de saúde. Os democratas vão juntar-se", escreveu Donald Trump na sua conta na rede de mensagens instantâneas Twitter.

Esta mensagem surgiu minutos depois de ser conhecida a oposição de alguns senadores republicanos, a qual fez fracassar a enésima proposta de saúde republicana para revogar e substituir o Obamacare.

Os senadores que anunciaram a oposição ao texto foram os ultraconservadores Mike Lee e Jerry Moran, aumentando para quatro o número de republicanos discordantes na câmara alta (Senado).

Com a oposição destes quatro republicanos e a união dos 48 senadores democratas contra a revogação do Obamacare, os votos favoráveis à nova proposta ficaram abaixo dos 50 necessários para a aprovar.

Apesar das tentativas de Trump e da maioria republicana nas duas câmaras do Congresso, o Presidente norte-americano não conseguiu ainda aprovar a revogação e substituir a Obamacare, uma das suas principais promessas eleitorais.

Estudos efetuados pelo Organismo do Orçamento do Congresso apartidário (CBO, em inglês) indicaram que entre 22 e 24 milhões de pessoas perderiam a cobertura de saúde nos próximos dez anos, com as propostas conservadoras.

Tópicos:

Mike Lee,

A informação mais vista

+ Em Foco

O homem que se deixa guiar mais pela racionalidade e disciplina considera que chegou o momento de “mobilizar os portugueses e com eles restabelecer a confiança num futuro melhor”.

    Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

      Em entrevista ao programa Visão Global da Antena 1, o ministro dos Negócios Estrangeiros reforça o apoio ao diálogo político na Venezuela e falou sobre as relações entre Portugal e Angola.

      O ministro da Administração Interna garante em entrevista à Antena 1 que não será "nem para o ano, nem daqui por dois" que ser resolve o problema dos incêndios em Portugal.