Presidente reeleito diz que o Irão escolheu a via do "entendimento com o mundo"

| Mundo

O presidente do Irão, Hassan Rohani, reeleito para um segundo mandato de quatro anos, considerou hoje que os iranianos escolheram a via do "entendimento com o mundo" e recusaram um regresso a um passado de isolamento internacional.

"A mensagem do nosso povo foi claramente expressada", disse, numa intervenção transmitida pela televisão, Hassan Rohani, reeleito na sexta-feira à primeira volta com 57% dos votos.

Rohani, um clérigo moderado, conseguiu quebrar o isolamento do país e foi sob a sua gestão que, em 2015, o Irão concluiu um acordo nuclear com as potências internacionais.

"O povo iraniano escolheu a via do entendimento com o mundo, longe do extremismo. Quer viver em paz e amizade com o resto do mundo, mas não aceita a ameaça e a humilhação. É a principal mensagem que quer que o mundo ouça", afirmou.

Com o seu voto, o povo iraniano "declarou aos países vizinhos e a toda a região que o caminho para a segurança é o reforço da democracia, e não o apoio de potências estrangeiras", acrescentou.

Numa alusão aos conservadores, sem contudo nomear o seu principal adversário, Ebrahim Raissi, o presidente afirmou que os iranianos "disseram não aos que queriam voltar para trás".

Rohani apresentou-se como presidente de "todos os iranianos".

Apoiado na campanha por destacadas personalidades reformadoras, Rohani agradeceu nesta intervenção o apelo ao voto na sua candidatura feito pelo ex-presidente Mohammad Khatami.

A informação mais vista

+ Em Foco

É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.

Constança Urbano de Sousa garante que enquanto tiver confiança do primeiro-ministro não vai sair do Executivo.

Jorge Paiva, botânico e professor, um dos maiores peritos da floresta, critica em entrevista à Antena 1 o desinteresse generalizado dos políticos pelos problemas da floresta.