Presidente reeleito diz que o Irão escolheu a via do "entendimento com o mundo"

| Mundo

O presidente do Irão, Hassan Rohani, reeleito para um segundo mandato de quatro anos, considerou hoje que os iranianos escolheram a via do "entendimento com o mundo" e recusaram um regresso a um passado de isolamento internacional.

"A mensagem do nosso povo foi claramente expressada", disse, numa intervenção transmitida pela televisão, Hassan Rohani, reeleito na sexta-feira à primeira volta com 57% dos votos.

Rohani, um clérigo moderado, conseguiu quebrar o isolamento do país e foi sob a sua gestão que, em 2015, o Irão concluiu um acordo nuclear com as potências internacionais.

"O povo iraniano escolheu a via do entendimento com o mundo, longe do extremismo. Quer viver em paz e amizade com o resto do mundo, mas não aceita a ameaça e a humilhação. É a principal mensagem que quer que o mundo ouça", afirmou.

Com o seu voto, o povo iraniano "declarou aos países vizinhos e a toda a região que o caminho para a segurança é o reforço da democracia, e não o apoio de potências estrangeiras", acrescentou.

Numa alusão aos conservadores, sem contudo nomear o seu principal adversário, Ebrahim Raissi, o presidente afirmou que os iranianos "disseram não aos que queriam voltar para trás".

Rohani apresentou-se como presidente de "todos os iranianos".

Apoiado na campanha por destacadas personalidades reformadoras, Rohani agradeceu nesta intervenção o apelo ao voto na sua candidatura feito pelo ex-presidente Mohammad Khatami.

A informação mais vista

+ Em Foco

Os portugueses escolhem os seus representantes locais a 1 de outubro. Acompanhe aqui a campanha, os debates e toda a informação sobre as eleições Autárquicas.

    Veja ou reveja aqui os debates na RTP com os candidatos às presidências das câmaras municipais das 18 capitais de distrito de Portugal Continental. A série é transmitida até 14 de setembro.

      Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A Antena 1 fixa o país em duas dezenas de retratos no caminho para as eleições autárquicas.

        A Alemanha aproxima-se da data do escrutínio de 24 de Setembro com uma economia próspera: muita exportação, muita construção, receitas fiscais abundantes, orçamentos públicos excedentários. O reverso da medalha é a degradação de condições sociais para uma parte significativa da população.