Presidente ucraniano dissolve Parlamento no discurso de investidura

| Mundo

|

O novo Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, anunciou esta segunda-feira a dissolução do Parlamento, durante o discurso de investidura, antecipando para daqui a dois meses as eleições legislativas que estavam marcadas para outubro.

“Eu dissolvo o Verkhovna Rada [Parlamento]”, declarou o novo Chefe de Estado perante os deputados e representantes das delegações internacionais reunidos no hemiciclo.

O Parlamento ucraniano é maioritariamente hostil ao novo Presidente e dominado pelos deputados leais ao antecessor, Petro Poroshenko. O anúncio de Zelenskiy provoca eleições legislativas antecipadas, apesar de algumas incertezas jurídicas sobre a realização da votação que já estava agendada para o mês de outubro.

O ator e comediante Volodymyr Zelenskiy, que foi protagonista de uma série televisiva em que representava o papel de presidente, chegou ao Parlamento ucraniano sozinho e a pé.

À espera tinha uma pequena multidão. Entre cumprimentos, beijos na testa e high-fives, teve tempo ainda para tirar algumas fotografias em modo selfie.
"Tudo para que não chorem"

No discurso de tomada de posse, Volodymyr Zelenskiy prometeu que, tal como no passado tinha trabalhado para fazer os ucranianos rir, agora iria lutar para não os fazer chorar.

“Querido povo, durante a minha vinha tentei tudo para fazer os ucranianos sorrir. Nos próximos cinco anos, farei tudo, ucranianos, para que não chorem”, assegurou no Parlamento.

O novo Presidente assegurou que a sua prioridade será acabar com o conflito com os rebeldes apoiados pela Rússia. “A nossa primeira tarefa é conseguir um cessar-fogo em Donbas”, afirmou.

O conflito na zona leste do país já provocou 13 mil mortos. Falando em ucraniano durante quase todo o discurso, mudou para russo quando falou da necessidade de conquistar o coração e a mente das pessoas que vivem nas áreas separatistas.
"Têm dois meses"

Num discurso de continuidade com o que assumiu na campanha, Zelenskiy voltou a colocar a tónica na luta contra a corrupção. “As pessoas devem chegar ao poder para servir o público”, afirmou.

Zelenskiy pediu que os deputados usem os dois meses até que às eleições antecipadas para aprovar uma lei que os privaria da imunidade e outra lei que proíbe autoridades de enriquecerem ilegalmente.

“Vocês têm dois meses para fazer isto. Façam-no e terão direito a medalhas”, disse.

O novo Presidente ucraniano é um conhecido comediante e ator no país. Apesar da sua formação em Direito, é dono da empresa de produção Kvartal 95 e criou a série televisiva Servo do Povo – nome que mais tarde daria ao seu partido – e em que desempenhou o papel de presidente da Ucrânia.

Zelenskiy venceu as eleições presidenciais no passado dia 21 de abril com uma maioria de 73 por cento. Competindo com mais 38 candidatos, incluindo o Presidente cessante, Petro Poroshenko, Zelenskiy obteve a vitória sem qualquer experiência política prévia.

“Devemos tornar-nos islandeses no futebol, israelitas na defesa do nosso território, japoneses na tecnologia”, afirmou. Disse ainda que os ucranianos deverão "tornar-se suíços na capacidade" de viverem felizes entre si, "apesar de todas as diferenças”.

c/ agências

A informação mais vista

+ Em Foco

A Festa dos Tabuleiros regressa às ruas da cidade de Tomar. Um longo desfile em que 750 tabuleiros são transportados por mulheres.

    Os líderes europeus não chegaram a acordo sobre quem deve liderar a União nos próximos cinco anos.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.